32,9 milhões possuem banda larga no País e serviço cresce

banda
Somados os serviços de telefonia móvel, telefonia fixa, banda larga fixa e TV por assinatura são 312  milhões de acessos até setembro de 2019 Foto: Anatel

O serviço de banda larga fixa teve aumento de 6,5% em setembro, em relação a igual período de 2018. Os demais serviços caíram em número de acessos em relação ao ano passado: a telefonia móvel teve queda de 2,6%; a fixa menos 8,7%; e a TV por assinatura recuou 9,1%. 

Com aumento de 2,0 milhões de contratos em 12 meses, a banda larga fixa foi o único serviço que cresceu, com mais 30,9 milhões em setembro de 2018, para 32,9 milhões em setembro de 2019 (incremento de 6,5%).

Merece destaque o avanço significativo da tecnologia de fibra ótica, que saiu de 16,8% do total de contratos do serviço em setembro de 2018, para 27,7% em 2019. Os números são da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

O setor de telecomunicações no Brasil fechou setembro de 2019 com 312,0 milhões de acessos, somados os serviços de telefonia móvel, telefonia fixa, banda larga fixa e TV por assinatura. Houve redução de 2,8% de acessos nos últimos 12 meses, que em setembro de 2018 eram 321,1 milhões.

Celulares

O pré-pago fechou o período com 53,3% dos celulares, contra 46,7% de pós-pagos. Ainda assim, continua a queda gradual do pré-pago e o consequente aumento do pós-pago: os celulares pós-pagos eram mais de 106 milhões, entre 228,16 milhões de acessos totais em setembro de 2019.

A tecnologia 4G foi a única a apresentar crescimento no número de linhas, com 149,2 milhões de acessos em setembro, 19,8% a mais se comparado ao mesmo período de 2018. No total, houve redução 6,1 milhões de linhas (2,6%) nos últimos 12 meses, sendo que as grandes operadoras (aquelas que possuem individualmente ao menos 5% do mercado) perderam 6,2 milhões de acessos, enquanto as prestadoras de pequeno porte ganharam 106,3 mil.

Telefonia fixa

Com 34,8 milhões de acessos, o serviço fixo manteve a redução de linhas em setembro: foram menos 3,3 milhões de contratos nos últimos 12 meses. A queda foi mais acentuada nos acessos das concessionárias, que tiveram redução de 10,9% nos acessos, enquanto que as autorizações tiveram uma redução de 6,0% no mesmo período.

Assinatura de TV

O serviço de TV paga perdeu 1,6 milhão de clientes (queda de 9,1%) em 12 meses. Em setembro de 2019, o serviço tinha 16,2 milhões de acessos, contra 17,8 milhões no mesmo período de 2018.