BNB aplicou R$ 3 bilhões no Ceará no 1º semestre

bnb
Lucro do BNB saltou 223% no 1º semestre, segundo Romildo Rolim Foto: Fernanda Oliveira

O Banco do Nordeste anotou lucro líquido de R$ 744,8 milhões, nos seis primeiros meses de 2019. A cifra é a maior da história da instituição para um semestre e 223% maior que o verificado em igual período do ano passado.

Foram contratados R$ 18,8 bilhões em operações de crédito no primeiro semestre, um crescimento de 8,2% em comparação com o resultado apurado de janeiro a junho de 2018. Os números estão no balanço financeiro da instituição, a ser publicado nesta quarta-feira, 14 de agosto.

O resultado operacional do BNB nos seis primeiros meses é de R$ 1,1 bilhão. O valor é 161,1% maior que o do mesmo período de 2018 e decorre do aumento do volume de contratações e desembolsos aliado à redução do provisionamento para risco de crédito e redução de despesas administrativas.

Ceará

No Ceará, o BNB aplicou R$ 3 bilhões de janeiro a junho de 2019, com 840,6 mil operações de crédito contratadas. O microcrédito é um dos destaques no período, com R$ 1,6 bilhão destinado a esse segmento.

O presidente do Banco do Nordeste, Romildo Carneiro Rolim, credita o crescimento do resultado ao propósito de tornar o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), operado exclusivamente pela instituição. Para ele, o desempenho deve-se ao nível de comprometimento institucional, com foco na eficiência, eficácia e conformidade. Os números “mostram como a instituição desempenha papel fundamental na promoção do bem-estar das famílias e na competitividade das empresas. Muito mais que números, o importante é o impacto positivo que cada uma das linhas de crédito e das políticas de desenvolvimento promovem, com geração de emprego, renda e qualidade de vida para milhões de pessoas", diz Romildo.

FNE

Nos seis primeiros meses do ano, foram contratadas no total mais de 2,5 milhões de operações. Só com recursos do FNE, o Banco do Nordeste aplicou R$ 13,4 bilhões, distribuídos em mais de 250 mil contratos. O resultado é 8,9% superior ao do primeiro semestre de 2018. Para investimentos de infraestrutura, foram destinados R$ 5,7 bilhões no período. 

Crediamigo

O BNB é o principal agente financeiro das micros e pequenas empresas em sua área de atuação e contratou R$ 1,7 bilhão até junho com esse público, em mais de 20,8 mil operações. O valor é 51% maior do que no primeiro semestre do ano anterior. O Crediamigo do Banco do Nordeste mantém-se como o maior programa de microcrédito produtivo orientado e urbano da América do Sul. Foram aplicados R$ 4,77 bilhões no semestre, volume 11% superior ao do mesmo período do ano passado, distribuído em mais de 2,1 milhões de operações.

No microcrédito rural, o programa Agroamigo destinou, até junho, R$ 1,1 bilhão a produtores que contrataram mais de 219 mil operações. O presidente Romildo Rolim adianta que a previsão do Banco do Nordeste é fechar o ano com R$ 38,7 bilhões investidos na economia da Região: R$ 27,7 bilhões com recursos do FNE e R$ 11 bilhões destinados ao microcrédito urbano, por meio do Crediamigo.