Cai número de cearenses que contam com planos de saúde

infla
Falta de condições para bancar o plano privado de assistência médica e também o desemprego têm levado cearenses a não contar mais este atendimento Foto: Freepik

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) revela que menos cearenses estão com plano de saúde em outubro de 2019, comparado a igual período do ano passado. O número caiu de 1.269.465 para 1.268.958. Ou seja, 507 pessoas deixaram de ter a assistência médica privada no Estado. 

Os planos de saúde, apesar de serem mais que necessários, estão ficando inacessíveis a uma população que não conta com emprego ou não consegue fazer face à despesa.

Crescimento no País

O Brasil registrou 47.255.912 beneficiários em planos de assistência médica. Na comparação com o mesmo período do ano passado, houve leve oscilação positiva, de 71,2 mil usuários.

O levantamento mostra que 15 unidades da federação registraram crescimento, e os níveis  mais expressivos foram observados nos estados de Minas Gerais, do Rio de Janeiro e de Goiás. A ANS ressalta, porém, que os números não são definitivos e podem sofrer algumas modificações retroativas em função das revisões efetuadas pelas operadoras.

Planos odontológicos

O número de usuários de planos exclusivamente odontológicos também cresceu, mantendo a trajetória de evolução que está em cursos nos últimos anos. No Ceará também mais gente aderiu a estes planos, passando de 926.590 para 981.624, em outubro deste ano. No País, em outubro de 2019, foram registrados 25.677.129 usuários, cerca de 1,5 milhão a mais do que outubro de 2018. Os estados com os avanços mais significativos estão no Sudeste: São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.