Vida Saudável é prática sustentável e também negócio

vida
Patrícia Belo e Eduardo Humberto apostaram por motivos diferentes na nova empresa, que vislumbra um mercado focado em produtos orgânicos para vários segmentos

Com um investimento inicial, de cerca de R$ 800 mil Patrícia Belo e Eduardo Humberto fazem o seu sonho virar prática de vida. O novo negócio é o Vida Sustentável, que dá vazão ao sonho de facilitar o acesso a quem busca formas de diminuir o impacto socioambiental.

A ideia é suprir a demanda de produtos para quem possui restrições alimentares, fortalecendo a tendência do lanche grab & go – ou seja, refeições e lanches balanceados e prontos para levar – e focando em horário de funcionamento acessível para diversos públicos (das 6h30 às 20h30, de segunda a sexta-feira, com horário diferenciado aos fins de semana).

A história

Desde que era criança, a analista de Tecnologia da Informação Patrícia Belo teve contato frequente com a natureza. Fosse no sítio dos pais ou na própria casa, onde aprendeu sobre alimentação saudável e sustentabilidade desde pequena, com a mãe, para ela a questão se tornou algo intrínseco à sua personalidade – e depois foi sendo passada para os filhos, através dos ensinamentos sobre como reaproveitar sobras de alimento ou a água do banho.

Por isso, quando começou a pensar em empreender, ela resolveu investir em um negócio que tivesse a sustentabilidade como mote principal. Assim começou a nascer o projeto do Mercado Vida Saudável, empreendimento que será inaugurado oficialmente nesta sexta-feira (6), no bairro da Aldeota, em Fortaleza, e foca em consumo saudável e sustentável em todas as vertentes: alimentação, higiene, beleza, pet shop. E tudo sem origem animal.

“Quando tive meus filhos, comecei a pensar ainda mais no que estamos deixando para as próximas gerações e me preocupei em tornar o planeta ‘utilizável’. Por isso, comecei a cultivar plantas em casa, reduzi o uso de água no dia a dia e fiquei atenta ao que como. Além do mais, vi nesse nicho uma possibilidade de suprir uma demanda na região”, conta Patrícia.

Novo estilo

O sonho começou a sair do papel quando conheceu o administrador Eduardo Humberto, que, por motivos muito diferentes, teve que começar a rever seu estilo de vida. “Eu tive complicações de saúde sérias por estar acima do peso e comer muito mal. A partir desse momento, mudei minha vida por completo e comecei a repensar meus hábitos em relação ao meio ambiente também, pois não há comida saudável em um ambiente poluído”, comenta Humberto, que também queria empreender e aproveitou a afinidade de Patrícia com o tema para sugerir que esse fosse o mote da dupla.

A partir daí, ambos procuraram consultorias para entender a sustentabilidade enquanto tendência de negócio, concorrentes, público-alvo e elaboraram um plano de negócios. O processo durou menos de um ano e agora irá gerar frutos: o Mercado Vida Saudável será inaugurado no próximo dia 6 de dezembro, com mais de mil tipos de produtos que contemplam a alimentação saudável e o consumo consciente. 

Ações sustentáveis

Para tornar o espaço livre de plástico comum e atender às normas de segurança de um espaço gastronômico, os investimentos foram altos – mas devem compensar na hora de analisar os resíduos produzidos pelo mercado. Os “descartáveis” são, na verdade, reaproveitados, feitos de material reciclado e biodegradável; as embalagens para viagem são feitas de bagaço de cana, em substituição ao isopor e as sacolas para compras, feitas de papel kraft reciclado.

Também há uma composteira para reaproveitar as sobras de comida, bicicletário, espaço para pets e carregadores portáteis que funcionam através da energia solar. “Investimos em detalhes que, além de auxiliar no cuidado com o meio ambiente, mostram que a sustentabilidade pode ser aplicada no dia a dia de cada um, e que viver de maneira saudável é mais do que uma tendência – e pode ser simples”, afirma Patrícia.