PIB cresce 0,6% ainda fraco; serviços e indústria puxam

pib
A taxa de expansão da economia nacional ainda está muito abaixo do pico da série, quando avançou 3,6%, atingido no primeiro trimestre de 2014

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 0,6% no terceiro trimestre de 2019, em relação ao trimestre anterior. A taxa ainda está 3,6% abaixo do pico da série, atingido no primeiro trimestre de 2014.

A agropecuária apresentou a maior expansão (1,3%), mas o maior impacto no PIB vem de serviços, pelo maior peso, com avanço de 0,4%. Já a indústria cresceu 0,8%. As informações fazem parte do Sistema de Contas Nacionais Trimestrais e foram divulgadas nesta terça-feira (3), pelo IBGE.

1% no ano

Na comparação com o terceiro trimestre de 2018, o aumento foi de 1,2%, a décima primeira alta consecutiva nesta base de comparação. No acumulado do ano, o crescimento foi de 1%. Em valores correntes, o PIB no terceiro trimestre de 2019 totalizou R$ 1,84 trilhão. A taxa de investimento no terceiro trimestre de 2019 foi de 16,3% do PIB, a mesma que foi observada no mesmo período do ano anterior (16,3%). Já a taxa de poupança foi de 13,5% no terceiro trimestre de 2019 (ante 13,1% no mesmo período de 2018).

Indústria

O crescimento na indústria se deve à expansão de 12% no setor extrativo, puxado pelo crescimento da extração de petróleo, e de 1,3% na construção. Já a atividade de eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos recuou 0,9%, enquanto a indústria de transformação caiu 1%.

Nos serviços, os resultados positivos foram das atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (1,2%), comércio (1,1%), informação e comunicação (1,1%), atividades imobiliárias (0,3%) e outras atividades de serviços (0,1%). Apresentaram recuo as atividades de transporte, armazenagem e correio (-0,1%) e administração, defesa, saúde e educação públicas e seguridade social (-0,6%).