Sistema S unido aponta impacto para 1,9 mi de pessoas no CE

sistema s
Lideranças das principais entidades classistas do Ceará que atuam no Sistema S estiveram presentes mostrando a parlamentares a atuação dos serviços

A mobilização é a tônica entre as lideranças do Sistema S. A atuação em conjunta foi sinalizada pelos presidentes de federações do comércio, indústria, agricultura, transportes, cooperativas e de pequenos negócios.

Os líderes de cada segmento estiveram presentes, na manhã desta segunda-feira (18), numa ação realizada na mais nova unidade do Senac Ceará, o Senac Reference.

Os presidentes das federações dos segmentos produtivos e dirigentes de instituições do Sistema S receberam deputados federais da bancada cearense, para apresentar suas principais ações e impactos sociais no Ceará.

Maurício Filizola, presidente do Sistema Fecomércio, anfitrião do encontro, declarou que “essa é a maneira das instituições permanecerem fortalecendo suas ações e darem continuidade ao trabalho que vem transformando vidas”. Só no Ceará, no ano de 2018, o Sistema S aponta que impactou diretamente 1,9 milhão de pessoas. “Só unidos estaremos mais fortalecidos para atuar”, finalizou Filizola.

A medida vem em respostas à possível redução de recursos do Sistema S, sinalizada pelo governo federal. Criado e mantido pelos empresários de cada segmento produtivo, o Sistema realiza serviços de utilidade pública, investindo para o desenvolvimento econômico do Estado e na promoção social.

Capacitação

Na área de qualificação profissional, por exemplo, o Sistema S, em 2018, capacitou mais de 209 mil pessoas em todos os segmentos, sendo responsável por mais de 72% da geração de empregos no Ceará. O papel nesta área de capacitação foi destacado pelo presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (Faec), Flávio Saboya, que pontuou a importância da atuação nesse segmento qualificando os trabalhadores rurais cearenses.

Ações integradas

Ricardo Cavalcante, presidente da Fiec, destacou que o Sistema S atende atualmente cerca de 20% da população do Estado. Esse percentual deve ser multiplicado a partir de ações integradas das instituições que formam os Ss nas áreas do comércio, indústria, transportes, agricultura, cooperativas e pequenos negócios. O presidente da Fiec ainda convidou os deputados da bancada cearense a se aproximarem do Sistema como uma forma de compreender seu funcionamento e para que defendam as instituições que o compõem.

O encontro com os deputados federais foi o pontapé inicial para uma atuação integrada de todas as federações. Segundo Alci Porto, diretor do Sebrae, o Ceará é o primeiro estado a criar um conselho dos Ss. A união dessas instituições deve impulsionar o crescimento econômico em outras regiões do estado, combatendo a concentração do desenvolvimento na Região Metropolitana de Fortaleza.

Fortalecimento

O apoio às empresas e empresários também esteve presente no discurso do diretor da Fetrans, Dimas Barreira, que pontuou a importância da atuação do Sistema como uma ferramenta para o fortalecimento das empresas e para o fomento da inovação no setor empresarial. Segundo dados divulgados pelo Sistema S, 135 mil empresas e empresários foram atendidos em 2018.

No mesmo sentido, José Aparecido dos Santos, superintendente do Sistema OCB Sescoop/CE também reforçou o apoio que de suas ações oferecem para a ampliação da competitividade dos pequenos empreendedores.

Estiveram presentes ao encontro os deputados federais José Airton Cirilo, Roberto Pessoa, André Figueiredo, Leônidas Cristino, o deputado estadual Heitor Freire e Urbano Costa Lima, representando o deputado federal Eduardo Bismarck. Todos eles declararam apoio ao Sistema S, compreendendo a relevância da sua atuação para o desenvolvimento do Ceará e se prontificaram a ser aliados das ações das instituições.

 

Resultados de 2018 do Sistema S no Ceará

•       1.877.257 transformação de vidas com atendimento
•       209.127 pessoas qualificadas
•       134.659 empresas e empresários atendidos
•       1.057.895 empregos gerados
•       72.21% de participação na geração de empregos no estado