Corona e Parley no Brasil limparão óleo de praias no Nordeste

corona
A cerveja Corona, junto à Parley for the Oceans, vai parar sua equipe de vendas por um dia para ajudar na limpeza do óleo que está devastando praias nordestinas

O óleo nas praias nordestinas move muitas pessoas da Região a agirem para limpar o patrimônio natural. A Corona, junto à Parley for the Oceans, vai parar sua equipe de vendas por um dia para ajudar nesta limpeza. A marca de cerveja libera seus colaboradores de áreas litorâneas para mobilização, que acontece na próxima quinta-feira (24), em parceria com o Ibama. Três praias serão o foco da ação. O Ibama irá apontar os locais.

“Quando iniciamos Corona x Parley no Brasil, tínhamos o compromisso de ajudar a combater o descarte de plástico em nossos oceanos e paraísos locais. Agora, diante desse desastre ambiental que atinge nossas praias, vimos que precisávamos nos movimentar ainda mais. Mais do que engajarmos nossos times para ajudar na limpeza, queremos espalhar esta mensagem, para que todos possam se inspirar e se juntar à causa”, afirma Bruna Buás, diretora de marketing de Corona. 

Corona x Parley, em parceria com o IBAMA, aproveitam para relembrar a importância de que a população não faça a limpeza do óleo sem apoio técnico, pois os materiais expostos podem apresentar risco à saúde. 

Corona x Parley

O projeto global Corona x Parley foi lançado em 2017 e já promoveu mais de 500 ações de limpeza de praia, com 25.808 voluntários em 15 países. No Brasil, acontece desde fevereiro de 2019 e promoverá mais de 20 limpezas de praias e ativações de conscientização e engajamento em diversos paraísos naturais do País. Para saber mais sobre o projeto e saber como fazer parte, acesse www.protectparadise.com.

Dicas caso você encontre óleo na praia

1. A indicação inicial é evitar ir às praias afetadas. Nadar e praticar esportes aquáticos nos locais com o resíduo também não é recomendado.

2. Evite contato direto com o produto. Não recolha o material poluente sem equipamentos de proteção. O recolhimento deve atender alguns protocolos orientados pelos órgãos de proteção ambiental.

3. Em caso de reação alérgica ao toque ou ingestão do óleo, o ideal é procurar o atendimento médico imediatamente.

4. Se encontrar algum animal ferido ou em contato com o com óleo, não recolha o animal, ligue para Polícia Ambiental (190).