Petrobras vai esperar mercado de petróleo se estabilizar sem fazer reajuste

bomba
O consumidor já vem pagando bastante caro pelo litro do combustível na Capital cearense

A Petrobras decidiu aguardar o mercado se estabilizar e não deve aumentar os preços dos combustíveis, pelo menos por enquanto. A petrolífera anunciou essa decisão no início da noite desta segunda-feira (16).

Mas o momento é de incertezas. Se a escalada do preço do petróleo se refletir rapidamente na bomba, o consumidor final será bastante impactado. Os aumentos viriam nos preços da gasolina, diesel, gás de cozinha, aumentando custos em cadeia.

O menor valor praticado encontrado nesta segunda-feira (16), pelo blogdareginacarvalho foi de R$ 4,55 para a gasolina comum, o que já não é nada barato. Mas há postos cobrando R$ 4,59.

Entretanto, este cenário ficou totalmente instável após ataques à Aramco, petroleira na Arábia Saudita. Os preços do petróleo no mercado internacional dispararam desde o último domingo, 15 de setembro. 

Aéreas

Outro segmento que pode vir a ser afetado em cheio com essa crise no fornecimento de petróleo é o das companhias aéreas, respingando diretamente nas tarifas, que também estão com valores já elevados.

Cotações

O índice Brent, que mede o valor do petróleo no exterior, ultrapassou os US$ 71 por barril, logo depois do começo do pregão desta segunda-feira (16), em Londres, o que representa mais de 18% em relação à semana passada. Em Nova York, o índice WTI de preços futuros deu um salto de 15%, para mais de US$ 63 por barril.

Os preços se acalmaram à medida em que o pregão continuou. Mas às 11h (horário do Japão), o preço futuro do petróleo nos mercados-chave ainda estavam cerca de 10% mais altos do que na semana anterior. O governo da Arábia Saudita revelou que os ataques fizeram com que sua produção diária caísse para cerca da metade. As ações da Petrobrras tiveram alta nesta manhã e a expectativa é para as decisões da petrolífera no mercado brasileiro.