BNB impulsiona economia nordestina e aplica R$ 3,86 bi no CE

bnb
O propósito do BNB é tornar o FNE cada vez mais relevante para o Ceará e o Nordeste

O Banco do Nordeste mantém seu papel de impulsionador da economia nordestina. O Ceará contou com R$ 3,86 bilhões de recursos aplicados pela instituição financeira no primeiro semestre de 2019. O montante representa um crescimento de aproximadamente 10,6%, se comparado a igual período de 2018, quando o BNB somou R$ 3,49 bilhões em contratações no Estado.

“Este crescimento deve-se a um firme planejamento de ações com as equipes na rede de agências na prospecção e identificação de oportunidades. Buscamos pulverizar o crédito, tornando-o acessível ao máximo de empreendedores no Estado. Isso reflete-se nas mais de 837 mil operações contratadas neste primeiro semestre”, afirma o superintendente estadual Rodrigo Bourbon.

Operações com o FNE

Somente com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), principal funding da instituição, as aplicações somaram R$ 2,22 bilhões, envolvendo mais de 32,8 mil operações.

No primeiro semestre do ano passado, as aplicações do FNE fecharam em R$ 2,1 bilhões. Agroindústria, indústria e serviços são destaques em crescimento no volume de contratações, com recursos do FNE, no comparativo entre os primeiros semestres de 2018 e 2019.

O Banco concluiu o primeiro semestre de 2019 com o total contratado de R$ 308,1 milhões no Ceará no segmento de micros e pequenas empresas. O registro aponta crescimento de 81% nas aplicações frente ao mesmo período de 2018. No total, foram contratadas mais de 3 mil operações de crédito com MPEs instaladas no Estado.

O BNB celebra a aplicação de R$ 1,5 bilhão no primeiro semestre deste ano no Ceará, no microcrédito. O dado representa incremento de 11,7% frente ao mesmo período de 2018. Foram 785.069 operações. São empréstimos realizados por meio do Crediamigo do Banco do Nordeste, maior programa de microcrédito produtivo orientado e urbano da América do Sul. O programa ampliou, a partir de  1º de julho, o limite do empréstimo, passando de R$ 15 mil para R$ 21mil.