No Dia da Cachaça, Ceará tem o que comemorar com a Diageo

caninha
Desde 2012, a Diageo, líder mundial na produção de bebidas alcoólicas premium, adquiriu a cearense Ypióca e, recentemente, anunciou investimento de R$ 100 milhões em unidade no Estado

No dia 13 de setembro é comemorado o Dia Nacional da Cachaça. A data foi criada pelo Instituto Brasileiro da Cachaça (Ibrac), em 2009. O Ceará, para além da tradição de produtor a partir dos antigos engenhos no Interior, alcançou um patamar internacional com o produto e vem atraindo o investimento estrangeiro, gerando divisas para o Estado. 

Desde 2012, a Diageo, líder mundial na produção de bebidas alcoólicas premium e dona das marcas Johnnie Walker e Smirnoff, adquiriu a cearense Ypióca. A multinacional britânica, que opera em 180 países, anunciou vai investir R$ 100 milhões no Ceará. Também lançou no fim de agosto, a pedra fundamental do seu novo complexo industrial em Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza. Atualmente, as operações da Diageo no Ceará geram 400 empregos diretos. No pico da obra de construção do complexo, serão gerados 350 postos de trabalho temporários. 

A unidade reunirá a fábrica e o escritório de Ypióca, além de um centro de distribuição, que movimentará o equivalente a metade dos produtos vendidos no país. Além disso, o Porto do Pecém receberá 75% dos contêineres de bebidas que a empresa importa para o Nordeste, permitindo que a Diageo envase do whisky escocês Black & White na nova unidade industrial, que será a única a efetuar essa operação no Brasil.

Para Gregorio Gutiérrez, presidente da Diageo para a região PUB (Paraguai, Uruguai e Brasil), os investimentos prometem elevar o impacto positivo das operações no Ceará, Estado estratégico para a companhia. “O anúncio demonstra nossa visão de futuro. O novo complexo terá capacidade instalada favorável à expansão da operação e introdução de linhas de outros produtos.”

Inauguração

A estimativa é que o complexo seja inaugurado no início do segundo semestre de 2020. Com o aporte, Itaitinga se transformará em um dos mais importantes hubs logísticos da companhia no Brasil. A escolha da cidade se deve à sua localização estratégica, próxima à capital e com fácil acesso à BR 116, melhorando a logística de transporte viário de mercadorias. 

Com área três vezes maior que a atual unidade industrial de Ypióca, em Fortaleza, a nova unidade receberá tecnologias que garantirão maior eficiência operacional aliada à sustentabilidade, com redução no consumo de água em até 40% na produção de bebidas. Com estrutura e processos de excelência, a fábrica será referência global da empresa e a única na região Paraguai, Uruguai e Brasil. 

O envase local de Black & White também gerará impacto positivo sobre a cadeia produtiva e a economia do Estado. O engarrafamento do whisky segue o crescente investimento no Ceará, somando-se à produção da vodka Smirnoff, desde fevereiro de 2019, e da cachaça Ypióca, com 170 anos de tradição. 

A origem do produto

Tudo começa na roça, pois uma cachaça de qualidade depende do bom preparo do solo. Além disso, a fermentação precisa ser perfeita e a destilação deve ser realizada com muita atenção, principalmente com base no teor alcóolico.

A próxima etapa é a fermentação, processo que transforma o açúcar da cana em álcool. É neste momento que se define a qualidade da cachaça. Depois, vem o momento da destilação. O resultado é uma bebida límpida, cristalina e incolor, ou seja, a famosa branquinha.

Os especialistas orientam na hora da degustação, sentir o aroma e identificar se é de boa qualidade. Outros fatores a serem avaliados são a presença de bolhas, transparência, oleosidade e frutosidade.