Cesta básica em Fortaleza ficou 23,37% mais cara em 2020

cestab
Para adquirir os itens, respeitadas as quantidades para a composição da cesta, o trabalhador teve que desembolsar R$ 534,96 em dezembro, equivalente a 55,34% do salário mínimo líquido Foto: Freepik

O fortalezense teve um grande desafio com a alta de preços de produtos básicos em 2020 e amargou o encarecimento da cesta básica em 23,37%. A maior elevação de preços veio do óleo (118,32%), arroz (88,29%) e farinha (50,51%), mas todos os produtos tiveram reajustes de impacto no orçamento. O menor foi o da manteiga (6,92%).

Deflação em dezembro

Em dezembro de 2020, o conjunto dos 12 produtos que compõem a cesta básica da Capital cearense registrou uma deflação de -0,81%.

Mas, o alívio foi pequeno e para adquirir os produtos, respeitadas as quantidades definidas para a composição da cesta, o trabalhador teve que desembolsar R$ 534,96, representando 55,34% do salário mínimo líquido. Considerando o valor e, tomando como base o salário mínimo vigente no país de R$ 1.045,00 (valor correspondente a uma jornada mensal de trabalho de 220 horas), pode-se dizer que o trabalhador teve que desprender 112h e 37 minutos de sua jornada de trabalho mensal para essa finalidade.