Dessalinização: falta apenas análise para fim de licitação

prfuturo
Usina ficará em área na Praia do Futuro e a Comissão julga recursos improcedentes e abre envelope de habilitação da primeira colocada

Em mais um passo no processo de licitação para a implantação da usina de dessalinização no Ceará, os documentos de habilitação do consórcio Águas de Fortaleza, formado pelas empresas Marquise S/A,  PB Construções Ltda e Abegoa Água S/A serão analisados pela PGE e Cagece. Após essa etapa será proclamado o resultado da Concorrência Pública Internacional.

Na tarde desta segunda-feira (04), a Comissão Central de Concorrência, da Procuradoria Geral do Estado (PGE), divulgou o julgamento dos cinco recursos recebidos acerca da etapa anterior (proposta comercial), os quais foram julgados improcedentes.

Na oportunidade, a comissão também realizou a abertura do envelope de habilitação do consórcio Águas de Fortaleza, primeiro colocado na fase de proposta comercial.

A planta

Ao todo, serão R$ 3 bilhões de remuneração distribuídos nos 30 anos de contrato. Com o projeto, a projeção é que o macrossistema conte com incremento de 12% na oferta de água, situação que pode beneficiar cerca de 720 mil pessoas.