TiM, Vivo e Claro são as novas donas da Oi por R$ 16,5 bi

oi
Os números da partilha desenhada pelo consórcio ainda não foram revelados, mas a expectativa do mercado é que essa definição leve em conta a carteira de clientes das operadoras em cada região

Consórcio formado pela TIM, Vivo e Claro adquiriu a Oi Móvel pagando R$ 16,5 bilhões. A divisão da operadora recebe críticas de que o mercado brasileiro de telefonia passa a ser mais concentrado.

Partilha

Assim, a expectativa é que a Vivo passe de 33% para 37% de participação no mercado; a TIM, de 23% para 32% e Claro, de 26% para 29%. As estimativas foram feitas pela Omdia, especializada em telecom, tecnologia e mídia.

A outra candidata, a Highline do Brasil chegou a apresentar uma proposta formal cujo valor exato não foi revelado, mas não conseguiu fazer face à oferta das três concorrentes "rivais".

Os números da partilha desenhada pelo consórcio ainda não foram revelados, mas a expectativa do mercado é que essa definição leve em conta a carteira de clientes das operadoras em cada região - segmentadas pelos DDDs.

O Brasil experimentou concentração mais alta nos tempos do monopólio do Sistema Telebrás para telefonia fixa. Mas isso acabou em 1997, com a privatização e divisão da rede em 12 grupos com atuações regionais.