BNB adere à Semana do Brasil e reduz taxas

bn
A principal taxa do banco de fomento passa a ser cobrada a partir de 0,99% no microcrédito

O esforço do governo federal para estimular a economia ganha a adesão do Banco do Nordeste. A instituição reduziu as taxas para capital de giro e microcrédito urbano a partir desta semana. A princípio a ação seria com o comércio, mas o governo também incluiu empresas públicas, na ação de 6 a 15 de setembro. A iniciativa tem por objetivo movimentar a economia do País.

De acordo com o BNB, as novas taxas beneficiam empreendimentos de todos os portes. O capital de giro passa a ser ofertado a partir de 0,41% ao mês, condição para micros e pequenas empresas sediadas em municípios do Semiárido. O produto financia aquisição isolada de matérias-primas para indústrias e agroindústrias, mercadorias, insumos utilizados por empresas de prestação de serviços e gastos gerais para o funcionamento do empreendimento, como folha de pagamento, despesas de água, energia e comunicação, aluguel, condomínio e manutenção de veículos, máquinas e equipamentos.

Microcrédito

O microcrédito, principal bandeira do banco de fomento está com taxas a partir de 0,99% ao mês, na modalidade Crediamigo Comunidade. O recurso é disponibilizado de forma desburocratizada, com orientação de um agente de microcrédito, para a melhoria da infraestrutura local do negócio ou moradia e aquisição de pequenas ferramentas.

O Crediamigo empresta capital de giro para investimento em móveis, utensílios, máquinas e equipamentos, reformas de instalações e seguros de vida.  O microcrédito atende pessoas que trabalham por conta própria, individualmente ou reunidos em grupos solidários, que atuam nos setores informal ou formal da economia, no comércio, serviços e indústria, sem exigência de comprovação de renda.