45 mil imóveis foram lançados no 1º semestre, 10% a mais

minhacasa
Os lançamentos do Minha Casa, Minha Vida representaram 77,5% das unidades novas no mercado 

O primeiro semestre de 2019 encerra com recorde de lançamentos imobiliários no País, com 16.298 unidades novas no mercado em julho, configurando o segundo melhor resultado mensal da série histórica iniciada em 2014. Contabilizando os seis primeiros meses do ano foram 45.085 novas unidades.

Os lançamentos foram puxados pelo Minha Casa, Minha Vida, que encontra-se com problemas no repasse de recursos, mas as construtoras e incorporadoras vislumbraram neste nicho oportunidades, já que é onde está o melhor patamar de comercialização, neste período de crise.

As empresas associadas à Abrainc - Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias - informam que julho registrou segundo maior volume mensal lançado da série histórica. A maior parte dos imóveis (77,5%) foi realizada via empreendimentos do Programa MCMV, em unidades das Faixa 2 e 3. No acumulado do primeiro semestre, o resultado do total de 45.085 unidades lançadas, apresentou um volume 10,1% superior ao registrado no mesmo período de 2018. Já as vendas totalizaram 10.180 unidades em junho de 2019, contribuindo para 55.197 unidades vendidas no acumulado de 2019 - resultado que corresponde a uma leve queda de 0,6% em relação ao mesmo período de 2018.

Considerando os últimos 12 meses, os lançamentos e vendas totalizaram, respectivamente, 104.546 e 114.776 unidades, o que representa um aumento de 12,5% no volume de unidades lançadas e uma queda de 0,4% no volume comercializado – ambos computados em relação aos 12 meses precedentes. 

Em contraste ao comportamento negativo do volume comercializado, as vendas líquidas de imóveis novos, calculadas pela subtração das unidades distratadas do total de unidades vendidas em um mesmo intervalo, cresceram 10,4%, no primeiro semestre de 2019, e 9,5%, nos últimos 12 meses.

Distratos

Portanto, houve uma queda expressiva no volume de distratos, tanto no balanço parcial de 2019 (-33,2%) quanto no acumulado dos últimos 12 meses (-27,3%). Esse fenômeno se expressa também pela redução observada na relação distratos-vendas, indicador cuja média nos 6 primeiros meses de 2019 (17,0%) encontra-se em patamar muito inferior à média calculada para o mesmo período de 2018 (25,3%).  

Em relação à participação por tipologia, a maior parte dos lançamentos residenciais (76,0%) e das vendas residenciais (70,3%) realizadas nos últimos 12 meses ainda corresponde a unidades comercializadas no âmbito do Programa MCMV, ao passo que os empreendimentos de alto padrão mantêm-se responsáveis por 24,0% das unidades residenciais lançadas e 29,7% das unidades residenciais vendidas nesse horizonte.

Residenciais

Em termos de desempenho por segmento residencial, é possível evidenciar diferenças no desempenho dos empreendimentos residenciais de médio e alto padrão e dos residenciais vinculados ao programa Minha Casa, Minha Vida. De um lado, apesar da expressiva alta de 17,1% registrada nos lançamentos residenciais de médio e alto padrão nos últimos 12 meses, as vendas de novas unidades pelo segmento ainda acumulam queda de 4,2% na comparação com o período precedente. Vale ressaltar, todavia, que as vendas líquidas do segmento de elevado padrão apresentaram alta expressiva de 16,3% no mesmo período. 

Comparativamente, o número de lançamentos residenciais vinculados ao Programa MCMV nos últimos 12 meses aumentou 15,2% em relação ao período precedente, tendência acompanhada pelos resultados positivos ainda observáveis no âmbito das vendas e vendas líquidas, que encerram o período com altas de 2,7% e 4,9%, respectivamente.