HRC Fortaleza é destaque internacional em biossegurança

hard
Foi investido mais de R$ 1,7 milhão apenas em um sistema visando garantir o conforto do ambiente e limpeza, parece até que o pessoal dos EUA estava prevendo a pandemia. Isso acabou se transformando em um diferencial", explica Samuel Sicchierolli, Presidente da VCI SA, proprietária do empreendimento

Em visita de inspeção realizada na última semana, o Hard Rock Cafe Fortaleza recebeu nota máxima no programa Safe + Sound, avaliada independentemente pela NSF International, uma organização global sem fins lucrativos comprometida com a proteção da saúde e segurança humana.

O HRC da Capital cearense recebeu 272 pontos na inspeção, o que confirma o padrão excepcional de segurança aos clientes. Um destaque especial que contribuiu para a conquista é o sistema de ar condicionado HPA, que filtra 99,99% das impurezas, retira qualquer odor do ambiente e recicla o ar de todo o local a cada quatro minutos – sistema único em restaurantes em todo o Estado.

Protocolos diferenciados

Lauro Sobreira, Head de Operações do HRC Fortaleza, conta que, mesmo antes da pandemia, os protocolos já eram diferenciados no estabelecimento, devido ao padrão internacional imposto pela marca. A isso, somam-se as regras e protocolos do Estado. “Ficamos muito satisfeitos com a pontuação alcançada. Ela reforça ainda mais o compromisso da casa com a biossegurança, algo que, felizmente, já é reconhecido pelos nossos parceiros e clientes”, pontua Lauro.

Para se ter uma ideia, o programa Safe + Sound foca em métodos aprimorados de limpeza, interações sociais e protocolos de local de trabalho. As ações garantem transparência durante a jornada do cliente, alimentos e dos membros da Hard Rock Cafe. Desenvolvido por uma equipe de especialistas em restaurantes e hotelaria, o Safe + Sound possui colaboração de especialistas mundiais em saúde e saneamento, como Ecolab e NSF International. Também inclui diretivas de agências-chave, como a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC).

Filtragem de impurezas

Como explicam especialistas em saúde da NSF, para se ter uma ideia da presença de bactérias na atmosfera, o ar que respiramos em um ambiente normal tem cerca de um milhão de bactérias por pé cúbico (1 pé = 30,48cm). Em uma sala contaminada, essa quantidade pode se elevar para 10 milhões. Contudo, com o sistema HPA, a purificação e filtragem de impurezas é quase absoluta. O número de bactérias no ar cai de um milhão para 10 mil bactérias por pé cúbico – o número, que pode parecer alto, é similar ao sistema de uma UTI ou sistema usado nas cirurgias com grande risco de infecção.

Inicialmente, o sistema foi recomendado para garantir o fluxo de exaustão, já que não existe o menor cheiro de comida ou gordura no ambiente, assim como para preservar as memorabílias, que são peças raríssimas e sem similares. "Foi investido mais de R$ 1,7 milhão apenas nesse sistema, visando garantir o conforto do ambiente e limpeza, parece até que o pessoal dos EUA estava prevendo a pandemia. Isso acabou se transformando em um diferencial", explica Samuel Sicchierolli, presidente da VCI SA, proprietária do empreendimento.