Natal 2020 deverá movimentar R$ 37,5 bilhões

natal
É esperado um crescimento de 2,2% nas vendas  no País. Não é um Natal gordo, mas pelo menos não deverá prevalecer o vermelho nas vendas do comércio referentes à data Foto: Freepik

Nem bem o Dia da Criança passou e as lojas começaram a ganhar o ar natalino. Ainda virá a Black Friday, mas, mesmo em ano de pandemia de Covid19 e de mais compras no e-commerce, o Natal continua a ser a principal data comemorativa do varejo, o que anima as lojas físicas também. Neste ano, a previsão de movimentação financeira é de R$ 37,5 bilhões.

E deverá haver um crescimento de 2,2% nas vendas. Não é um Natal gordo, mas pelo menos não deverá prevalecer o vermelho nas vendas do comércio referentes à data. O setor se enfeita e busca atrair o consumidor com o brilho e o espírito do período.

Considerando anos anteriores, entretanto, certamente o Natal será mais magro, com variações negativas. As previsões elaboradas pela Confederação Nacional do Comércio (CNC) se baseiam em aspectos sazonais históricos.

Influências

Do ponto de vista da reativação do consumo, a segunda metade deste ano tende a favorecer as vendas e, consequentemente, as contratações voltadas para as datas comemorativas do semestre.

Neste ano, apesar dos juros básicos no piso histórico, o comportamento das vendas seguirá ditado pelo ritmo de regeneração do mercado de trabalho, o que não tem se configurado de forma positiva.

Além disso, a inflação não tem ajudado, sobretudo as famílias de baixa renda. Também influenciam o resultado das lojas físicas a evolução das vendas online.

Além disso, os lojistas anotam o impacto de medidas voltadas para mitigar os efeitos da recessão, como, por exemplo, o auxílio emergencial.