Pague Menos reinventa sua TI priorizando cultura ágil

ti
A TI da Pague Menos foca nas ações direcionadas para a equipe, nos processos e na tecnologia através de uma cultura ágil direcionada à experiência do cliente

A área de Tecnologia da Informação da Pague Menos tem passado por uma mudança significativa. Desde a criação da diretoria de transformação, sob o comando de Gilberto Caray, o setor está sendo reformulado, inclusive em aspectos além da tecnologia que vão desde criar um ambiente propicio à cultura ágil até o posicionamento da TI como parceiro de negócio, para acelerar a estratégia da companhia.

Modelo de startups

Com um modo de pensar que se aproxima ao de startups, e direcionando as tomadas de decisões por uma mentalidade com foco em soluções, a TI da empresa tem alterado sua forma de atuar e impactado tanto processos internos quanto externos.

Uma das maiores redes de farmácias do País, e a primeira presente em todos os 26 estados e no Distrito Federal, atualmente, a rede conta com mais de mil lojas espalhadas por todo o Brasil. Portanto, uma área de TI ágil e robusta é essencial para que uma operação como essa funcione bem, no atual momento de transformação social, quando o digital ganha cada vez mais importância.

Novos talentos

Uma das alavancas para esse novo momento está na busca por novos talentos no mercado, além de trabalhar no desenvolvimento dos atuais colaboradores, com o intuito de formar times de alto desempenho para lidar com tantas mudanças. Entre outras medidas adotadas está a reorganização dos times de desenvolvimento seguindo o modelo de squads, típico de startups, onde cada time é formado por pessoas de tecnologia e negócio que estão focando em produtos com um objetivo específico. O envolvimento de profissionais hábeis de diferentes áreas, trazendo variados pontos de vista ao mesmo tempo na concepção de cada produto, otimiza o processo, tornando-o mais eficiente e focado na entrega de valor aos clientes.

Outra mudança importante foi a criação de um portfólio específico de projetos de transformação que vão levar a companhia para um outro patamar tecnológico. Entre os destaques está o desenvolvimento de um barramento de API para integração das aplicações. Com isso, as soluções ou serviços se comunicam com outros produtos da companhia de maneira simplificada, sem a necessidade de saber como elas foram implementadas, gerando economia de tempo e dinheiro. Ainda nesse contexto está um ambicioso projeto, chamado de Data Driven que vem transformando a maneira como a companhia lida com a imensa quantidade de informações que são geradas diariamente.

Hub de inovação

Essa mudança cultural no setor também se dá em âmbito externo à Pague Menos, em iniciativas como o hub de inovação NINNA, que nasceu em dezembro do ano passado na cidade de Fortaleza, tendo a rede de farmácias como uma de suas mantenedoras. O projeto tem como objetivo conectar empresas e startups para que, juntas, desenvolvam uma cultura de inovação. Dessa forma, conseguem ajudar grandes corporações a reimaginar e redesenhar modelos de negócios mais eficientes e adaptados à nova economia da era digital, como a Pague Menos tem feito.“A busca por transformar vai muito além da tecnologia. Essa transformação precisa impactar os produtos e serviços visando gerar valor ao nosso consumidor final, assim como o nosso público interno, fazendo jus à nossa missão: tornar o físico mais virtual e o virtual mais integrado ao físico”, explica Gilberto Caray. “É fundamental que todos vejam essa renovação e adotem essa nova forma de pensar e agir, que garante mais agilidade e traz ótimos resultados. Nosso foco sempre será oferecer o melhor para o mercado, atendendo os anseios do nosso público”.