COAPH Saúde investe em nova clínica no Eusébio em 2021

coaph
Com pronto atendimento, a clínica terá estrutura completa e de alto padrão, com serviços de exames de imagem e laboratoriais, além de plantão 24h

A COAPH Saúde (Cooperativa de Atendimento Pré e Hospitalar) planeja abrir novos empreendimentos no Ceará que vão ampliar a cobertura dos serviços da cooperativa. Dentre os projetos, está previsto o Total Care, nova clínica, no Eusébio.

Com pronto atendimento, a clínica terá estrutura completa e de alto padrão, com serviços de exames de imagem e laboratoriais, além de plantão 24h.

O Total Care atenderá diversos convênios parceiros da COAPH Saúde e fará atendimentos particulares.

O empreendimento no Eusébio tem a  expectativa de inauguração no segundo semestre de 2021. O início das obras está marcado para o dia 13 de outubro com a presença dos diretores da COAPH Saúde. A previsão é que o Total Care possa gerar cerca de 200 vagas de trabalho.

Home Care

Buscando ampliar seu catálogo de serviços, a COAPH Saúde também passou a realizar novos exames e procedimentos em seu Home Care. A cooperativa, referência em atendimento médico, começa a oferecer em domicílio os exames de eletrocardiograma, raio-x, ultrassom, ultrassom com doppler e eletroencefalograma; e os procedimentos de aplicação de medicação intramuscular, aplicação de medicação endovenosa, cateterismo vesical de demora, cateterismo vesical de alívio, troca de gastrostomia, troca de traqueostomia, sondagem nasoenteral, sondagem nasogástrica e curativo.

“O atendimento na residência é bom para o paciente que passa a ter mais contato com a família e pode ter até uma recuperação mais rápida, além de reduzir os riscos de infecção hospitalar. Para a família, o Home Care significa menos deslocamento e um acompanhamento mais próximo do paciente”, destaca Dra. Lara Santiago, responsável técnica pelo Home Care da COAPH Saúde.

Segundo Dra. Lara, o Home Care também é um grande instrumento para desafogar hospitais. “O serviço domiciliar permite que haja nos hospitais uma maior rotatividade dos leitos, abrindo espaço para pacientes que realmente precisam da estrutura do hospital, como pessoas em UTIs ou que irão passar por cirurgias”, completa.