EDP eleva lucro líquido em 25,5%; Setas desponta como CEO

edp
Miguel Setas, da EDP, é eleito o melhor CEO do setor de energia pelo segundo ano consecutivo, em premiação do Valor, que reconhece executivos de alta gestão no Brasil em vários setores

A EDP, empresa que atua em todos os segmentos do setor elétrico brasileiro,  incluindo térmicas no Ceará, registrou lucro líquido de R$ 237 milhões no segundo trimestre de 2020. O resultado é 25,5% maior que o do mesmo período do ano anterior.

O EBITDA (lucro antes de taxas, impostos, depreciação e amortização) chegou a R$ 586 milhões, um crescimento de 5,5% na comparação com o segundo trimestre de 2019.

Graças a esse desempenho, a Companhia fechou o semestre com EBITDA de R$ 1,3 bilhão, um avanço de 1,9%, e lucro líquido de R$ 508 milhões, uma alta de 4,9% sobre a primeira metade do ano passado.

Plano de ação

O desempenho semestral positivo é fruto do plano de ação adotado pela Companhia para mitigar o impacto da crise do coronavírus sobre o negócio – o chamado Plano 3R. Num primeiro momento, a Companhia ativou seus protocolos de gestão de crise e colocou em marcha um plano de contingência cujas prioridades eram: proteger suas pessoas, garantir a continuidade de sua operação e ajudar a sociedade.

Passada a primeira etapa de reação à pandemia (react), a EDP passou a trabalhar na recuperação de resultados (recover) e na identificação de alternativas e oportunidades dentro do novo cenário (reshape). Dentro desta última dimensão, foram criados oito subcomitês, com a missão de levantar informações e opções em quatro campos: Green recovering e Growth; Digital e Cliente; Inovação e Capital Allocation; Diversidade & Inclusão e Workplace reshaping.

“Os bons resultados verificados no segundo trimestre e no primeiro semestre como um todo mostram que, apesar do cenário desafiador em escala global, a estratégia adotada pela EDP foi acertada. Depois de uma etapa inicial de proteção do caixa e de reforço da liquidez, pudemos recuperar resultados e nos abrimos a avaliar novas oportunidades”, afirma Miguel Setas, presidente da EDP no Brasil. “Estamos confiantes de que, apesar de toda a austeridade que o momento exige, sairemos ainda mais fortes deste momento e com perspectivas de um futuro ainda melhor para a EDP.”

Premiação

Na noite da quinta-feira (27/8), o jornal Valor Econômico, do Grupo Globo, realizou a 20ª edição do Executivo de Valor. A premiação reconheceu pelo segundo ano consecutivo Miguel Setas, CEO da EDP, companhia que atua em todos os segmentos do setor elétrico, como o melhor líder empresarial na categoria Energia. 

A seleção dos 23 executivos premiados, atuantes em diversos setores da economia brasileira, foi feita a partir da análise de mais de 450 nomes levantados por 14 empresas de recrutamento executivo filiadas à Association of Executive Search Consultants (Aesc), que reúne mais de 350 companhias do setor, em 70 países.

“É motivo de grande satisfação recebermos, pelo segundo ano consecutivo, uma premiação de tanto prestígio. Acima de tudo porque constitui o reconhecimento do trabalho dos mais de 10.000 colaboradores da EDP e dos seus parceiros de negócio. Gostaríamos de dedicar esta premiação a todos os profissionais do setor elétrico brasileiro, que, de forma abnegada e corajosa, mantiveram o sistema elétrico nacional em pleno funcionamento durante a pandemia que ainda assola o Brasil. A todos eles queremos prestar a nossa devida e justa homenagem”, afirma Miguel Setas, presidente da EDP no Brasil.

Setas lidera a EDP no Brasil desde 2014 e integra o conselho mundial do grupo EDP desde 2015. O executivo, de origem portuguesa, está no País desde 2008 e, antes da EDP, foi presidente da operação brasileira da EDP Renováveis. Setas é engenheiro físico pós-graduado em Engenharia Elétrica e da Computação. Começou sua carreira como consultor e já ocupou postos de liderança em diversos setores, como Petróleo e Gás, Telecomunicações e Transportes.