Marquise emprega 300 com retomada no Cinturão das Águas

aguas
Desde o ano passado a obra estava parada. Agora, volta a andamento a construção na área do lote 03 projetado com 8,6 quilômetros de sifão e 25,8 quilômetros de canal

A obra estava paralisada desde 2019, em função de problemas no repasse de verbas pelo Governo. Foi formalizada a ordem de serviço do reinício das obras do lote 03 do Cinturão das Águas do Ceará, que compreende as cidades de Missão Velha, Barbalha e Crato.

Com o passo dado agora, a obra terá retomada imediata e empregará mais 300 operários. Para o lote 03 está projetado com 8,6 quilômetros de sifão e 25,8 quilômetros de canal. 

Participaram do ato de assinatura Renan Carvalho, diretor da Marquise Infraestrutura, empresa líder do Consórcio; Francisco Teixeira, Secretário de Recursos Hídricos e Yuri Castro, da Superintendência de Obras Hídricas.

Transferência de água

O Cinturão das Águas do Ceará tem como a finalidade de transferir vazões advindas do Projeto de Integração do Rio São Francisco (PISF), por meio do Eixo Norte destinado ao Ceará, para distribuí-las nas principais bacias hidrográficas do estado de forma gravitaria, ou seja, sem a necessidade de bombeamentos, alargando as áreas beneficiadas e potencializando os benefícios.

“Estamos muito otimistas com esse novo momento. Esse é um projeto de extrema relevância para o desenvolvimento do Ceará, uma vez que é parte essencial para que a Transposição do Rio São Francisco seja viável, amenizando o problema da seca recorrente na nossa região”, comemora Renan Carvalho, diretor da Marquise Infraestrutura.

Por meio do Cinturão das Águas, a transposição do Rio São Francisco já é realidade no Ceará. Em junho de desse ano chegaram ao município de Penaforte as primeiras águas do Velho Chico. Ao concluir os demais trechos, 17 municípios serão beneficiados.