Combustíveis sobem 2,55% em agosto e pressionam a inflação em Fortaleza

infla
A  prévia da IPCA-15 em Fortaleza e Região Metropolitana acumula alta de 1,84% no ano

Os preços dos combustíveis subiram 2,55% e pressionaram a prévia da inflação em Fortaleza e Região Metropolitana, com o maior impacto vindo da gasolina, com alta de 2,63%. O óleo diesel (1,71%) e o gás veicular (0,79%) também tiveram aumento nos preços.

Com isso, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), divulgado nesta terça-feira (25) pelo IBGE, ficou em 0,11% em agosto no RM de Fortaleza. No ano, o IPCA-15 acumulou alta de 1,84%. 

Os preços foram coletados entre 15 de julho e 13 de agosto de 2020 (referência) e comparados com aqueles vigentes de 16 de junho a 14 de julho de 2020 (base).

O grupo transportes teve alta de 0,82%, impulsionada pelo item transporte por aplicativo (3,04%). Já as maiores quedas no grupo veio de passagens aérea (-5,36%) e ônibus interestadual (-2,65%).

Alimentação e bebidas

No grupo alimentação e bebidas (0,62%), a maior alta veio dos itens maracujá (10,24%), fígado (8,40%) e maçã (6,50%), enquanto as maiores quedas ficaram nos produtos tomate (-12,77%) e cenoura (-12,26%). Já os artigos de residência tiveram alta de 1,13%, com as maiores altas nos itens ar-condicionado (4,70%) e televisor (3,86%) e a maior queda no item refrigerador (-0,79%).

Saúde e educação

Saúde e cuidados pessoais teve variação de 0,94%, com as maiores altas nos itens perfume (4,18%) e produtos óticos (3,75%) e as maiores quedas nos antidiabéticos (-3,07%) e anti-inflamatórios (-2,83%).

O grupo Educação teve queda de -7,70%, a maior do ano. Com a suspensão das aulas presenciais por conta da pandemia de Covid-19, várias instituições de ensino concederam descontos nas mensalidades, que foram contabilizados no IPCA-15 de agosto. Os preços dos cursos regulares recuaram 9,22%. A maior queda foi observada na pré-escola (-18,69%), seguida pelos cursos de ensino médio (-9,79%), de educação de jovens e adultos (-9,61%) e de ensino superior (-7,90%).

Internet mais cara

No grupo comunicação (2,15%), a maior alta foi no item acesso à internet (12,18%), maior alta do mês, entre todos os produtos pesquisados no IPCA-15.Também houve alta no grupo habitação (0,50%) e despesas pessoais (0,09%) e queda no vestuário (-0,46%).