Fiocruz Ceará já pode liberar até 10 mil testes Covid19/dia

fiocruz
O governador Camilo Santana oficializou a operação da unidade. A iniciativa faz parte da estratégia de ampliação da testagem nacional  Foto: Governo do Ceará

A Fiocruz Ceará inicia a operação de mais uma Unidade de Apoio ao Diagnóstico da Covid-19. A iniciativa se insere na estratégia de apoio aos Laboratórios Centrais de Saúde Pública (Lacen), do Governo do Ceará, e ampliação da capacidade nacional de processamento de amostras.

Com potencial para processar diariamente até 10 mil testes moleculares, a nova unidade é equipada com plataformas automatizadas doadas pela iniciativa Todos Pela Saúde - liderada pelo Itaú Unibanco -, e utiliza a metodologia de PCR em tempo real.

Capacidade

Com capacidade para processar 10 mil testes moleculares por dia, a iniciativa faz parte da estratégia de ampliação da testagem nacional. Um dos Estados que mais testa, Ceará já fez 592 mil exames. O governador do Ceará, Camilo Santana, acompanhou nesta segunda-feira (24) o início das atividades da Unidade de Apoio ao Diagnóstico da Covid-19 no Ceará, localizada no Campus da Fiocruz Ceará, no Polo de Saúde do Eusébio. Durante a pandemia, o Ceará se tornou um dos Estados que mais testa no Brasil, atingindo a marca de 592 mil testes.

“A Fiocruz vem buscando ser parte da resposta à crise humanitária que estamos vivendo desde o início da pandemia. A nossa tradição de 120 anos e a presença em todas as regiões do País nos permitem contribuir com o Ministério da Saúde na estratégia nacional de testagem. Além da mobilização das nossas unidades regionais no apoio aos Lacens locais, unimos esforços para implantar as Unidades de Apoio, que permanecerão como legado para o sistema de vigilância nacional e para o SUS mesmo após o fim da emergência”, destaca a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima.

Construída em pouco mais de dois meses, as novas instalações do Ceará ocupam uma área de aproximadamente 2,3 mil m2. A obra foi financiada pela EloPar (Bradesco e Banco do Brasil) e UnitedHealth Group Brasil (UHG Brasil). O Ministério da Saúde custeará a operação. Em seu pleno funcionamento, cerca de 200 profissionais, entre biologistas e técnicos de laboratório capacitados, se revezarão em três turnos de trabalho para processar as amostras que são encaminhadas pelo Ministério da Saúde.

Fortalecimento do SUS

"A pandemia colocou o Ceará, o Brasil e o Mundo em momento desafiador, mostrou as feridas do Brasil, e a principal delas é a desigualdade, por isso é preciso repensar essa desigualdade social tão grande. Mas mostrou também a importância do SUS (Sistema Único de Saúde). Aqui no Ceará mais de 80% da população usa o SUS, e destaco o valor de fortalecer cada vez mais o SUS, de fazê-lo integrado, cooperado", afirmou Camilo.