BNB investe R$ 18,36 bilhões no semestre, R$ 2,15 bi no Ceará

bnb
Segundo o presidente do Banco do Nordeste, Romildo Rolim, "a Instituição empregou sua experiência no esforço de vencer o desafio inédito na história da empresa, consciente de sua missão desenvolvimentista

O Banco do Nordeste investiu R$ 18,36 bilhões na economia regional, nos seis primeiros meses deste ano, valor que corresponde a 2,4 milhões de operações de crédito. 

Segundo o presidente do Banco do Nordeste, Romildo Carneiro Rolim, "a Instituição empregou toda sua experiência no esforço nacional de vencer o desafio inédito na história da empresa, consciente de sua missão desenvolvimentista, fortalecendo as parcerias com os empreendedores por meio do diálogo franco e do aprendizado de mão dupla. "Estamos mais fortes porque nosso objetivo comum é tornar o Nordeste mais forte", disse Rolim.

Ceará

No Ceará, as contratações por meio do FNE, no primeiro semestre de 2020, alcançaram, no total, R$ 2,15 bilhões, dos quais R$ 649,6 milhões exclusivamente para projetos de infraestrutura. No Crediamigo, as operações para empresas cearenses chegaram a R$ 1,56 bilhão, equivalentes a 700.692 operações, e no Agroamigo, a R$ 143,0 milhões, correspondentes a 28.725 operações.

Partição do bolo no NE

Desse total, R$ 12,51 bilhões são oriundos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), sendo que R$ 9,70 bilhões destinaram-se aos setores Rural (Agricultura e Pecuária), Agronegócio, Industrial, Comércio e Serviços e Turismo, e R$ 2,81 bilhões a projetos de infraestrutura. Os programas de microfinanças urbana e rural, Crediamigo e Agroamigo, investiram R$ 6,19 bilhões. Até julho, os investimentos totais na economia alcançaram R$ 22,18 bilhões.

Micros e pequenas empresas, segmento mais afetado pelas consequências da crise sanitária, foram contempladas com R$ 2,23 bilhões, beneficiando 18 mil mini e pequenos empreendedores, somando 24.214 operações de crédito com recursos próprios e do FNE no primeiro semestre. Essa performance equivale ao incremento de 28,0% em termos de valores e de 15,9% relativamente à quantidade de operações, quando comparada a igual período do ano passado. O segmento absorveu 86,4% dos recursos emergenciais disponibilizados durante o período da pandemia.

Emergencial

No âmbito do FNE Emergencial, linha de crédito especial operacionalizada exclusivamente pelo Banco do Nordeste e lançada pelo Governo Federal, em março passado, com apoio do Ministério do Desenvolvimento Regional, o Banco aplicou R$ 788,9 milhões, beneficiando com taxa de juros de 2,5% ao ano, prazos e carências especiais, empreendedores individuais (MEIs), cooperativas e empresas de diferentes portes localizadas em municípios em situação de emergência, totalizando 10.377 operações realizadas no período. Até julho, o volume investido na linha FNE Emergencial alcançou R$1,11 bilhão.

Rolim destacou que o BNB encerrou o primeiro semestre de 2020, com lucro líquido acumulado de R$ 332,5 milhões."Quando se considera o lucro líquido recorrente, esse resultado se eleva para R$ 538,7 milhões, representando incremento de R$ 54,2 milhões em relação ao mesmo período do ano passado, que alcançou R$ 484,6 milhões", acrescentou.