Varejo do Ceará cresce 29,3% em junho e é 3º em expansão

loja
Tecidos, vestuário e calçados apresentaram recuo de 52,9% na variação entre junho de 2020 em relação a igual período de 2019 Foto: Pixabay

A exemplo da indústria, o comércio do Ceará corre atrás do prejuízo com os dias parados e mudanças trazidas pelo efeito pandemia de Covid19. Em junho de 2020, o varejo no Estado cresceu 29,3% frente a maio, na série com ajuste sazonal, após crescimento de 7,9% em maio de 2020. No ranking nacional, o Estado foi o 3º com melhor desempenho em junho. No País as vendas cresceram 8% no mês de junho.

Mas, na série sem ajuste sazonal, em relação a junho de 2019, o comércio varejista cearense decresceu 8,3%. Já o acumulado nos últimos 12 meses foi de -8,7%. Os dados são da Pesquisa Mensal do Comércio, do IBGE.

Varejo ampliado

No  comércio varejista ampliado, que inclui Veículos, motos, partes e peças e de Material de construção, o volume de vendas cresceu 36,1% em relação a maio. Em relação a junho de 2019, o comércio varejista ampliado recuou 8,8%, a quinta taxa negativa. O acumulado nos últimos 12 meses foi de -6%.

Segmentos

Cinco das oito atividades pesquisadas tiveram queda na variação mensal comparada a 2019. Na série comparativa com igual mês do ano anterior houve queda em cinco atividades do comércio varejista: Livros, jornais, revistas e papelaria (-53,1%); Tecidos, vestuário e calçados (-52,9%); Combustíveis e lubrificantes (-19,8%); Móveis e eletrodomésticos (-15,1%) e Outros artigos de uso pessoal e doméstico (-5,9%).

Apenas Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (15,6%), Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (5%) e Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (1,3%) tiveram alta frente a junho de 2019. No comércio varejista ampliado houve recuo no na atividade Veículos, motos, partes e peças (-17%) e crescimento em Material de construção (13,9%).

24 estados avançam

De maio para junho de 2020, na série com ajuste sazonal, a taxa média nacional de vendas do comércio varejista cresceu 8,0%, com resultados positivos em 24 das 27 Unidades da Federação, com destaque para: Pará (39,1%), Amazonas (35,5%) e Ceará (29,3%). Por outro lado, pressionando negativamente, figuram três das 27 Unidades da Federação, com destaque para: Rio Grande do Sul (-9,0%), Paraíba (-2,4%) e Mato Grosso (-2,0%).

O comércio varejista ampliado, entre maio e junho, cresceu 12,6%, com resultados positivos em 24 das 27 Unidades da Federação. Os destaques foram Amapá (43,3%), Pará (43,0%) e Amazonas (38,7%). Pressionando negativamente estão Rio Grande do Sul (-6,5%), Mato Grosso (-2,2%) e Paraíba (-0,3%).