Serlares investe na segurança de colaboradores e clientes

serlares
A Serlares investiu nos protocolos de sanitização e segurança e intensificou a atenção a seus colaboradores e clientela para buscar mais segurança na atividade

A Serlares, empresa referência na produção de refeições coletivas há mais 45 anos em todo Nordeste, elaborou uma série de ações internas em sua rede de restaurantes corporativos visando garantir a segurança e o bem-estar dos colaboradores e clientes.

As medidas foram adotadas desde o início do isolamento social decretado pelo governo e seguirão nos próximos meses.

As iniciativas da Serlares incluíram elaboração de cartazes e cartilhas explicando como se portar no ambiente de trabalho durante esse período para garantir a segurança de colegas e outros colaboradores até a disponibilização de totens higiênicos equipados com álcool 70%; uso obrigatório de máscaras e luvas de proteção, com a recomendação de troca a cada 2 horas de utilização; e aferição diária da temperatura corporal de cada membro do time de trabalhadores da Serlares.

Procedimentos

Segundo Narla Ximenes da Serlares, todas as medidas foram pensadas para garantir a segurança e bem-estar tanto dos seus colaboradores, quanto dos trabalhadores das empresas clientes. “Como não pudemos parar nossas atividades, redobramos os cuidados com os nossos colaboradores e com o ambiente de trabalho deles. Desenvolvemos uma série de procedimentos e conseguimos, com êxito, colocá-los em prática, garantindo assim o fornecimento de refeições a diversos dos nossos clientes de todos os segmentos, muitos deles serviços essenciais”, finaliza.

Além disso, a empresa também determinou regime obrigatório de home office a todas as colaboradoras gestantes e disponibilizou uma cesta básica a mais a cada uma para garantir o reforço na alimentação, que reflete diretamente na saúde e bem-estar da mãe e da criança.

Ser mais Herói

A Serlares também preparou a ação denominada “Ser mais Herói” que teve como principal objetivo reconhecer a importância dos colaboradores que tiveram que continuar suas atividades presenciais mesmo durante o período de isolamento social, por trabalharem junto a segmentos denominados por decretos governamentais como essenciais. Com a ação, cada colaborador ganhou uma cesta básica a mais do que já recebia nos meses de abril, maio e junho.