Medidas buscarão trazer confiança a empresas cearenses

fernanda
O presidente do Conselho Regional de Contabilidade no Ceará (CRC-CE), Robinson de Castro e Silva, e Fernanda Pacobahyba, secretária da Fazenda do Ceará, participaram de live nesta terça-feira (23)

As medidas que o governador do Estado, Camilo Santana, deverá anunciar ainda esta semana buscam impulsionar a economia cearense em tempos de pandemia de Covid19 e deverão dar "um suspiro" às empresas neste momento difícil. 

A expectativa é da secretária da Fazenda,Fernanda Pacobahyba, que participou de live nesta terça-feira (23), com o presidente do Conselho Regional de Contabilidade no Ceará (CRC-CE), Robinson de Castro e Silva, no Instagram da entidade representativa da classe contábil.

Estímulo

Fernanda destacou que existe uma palavra feminina chamada "confiança", que é o necessário neste momento de apreensão para as empresas e que essa injeção de ânimo deverá irrigar o setor produtivo.Como exemplo, disse que caso o governo defina pagar integralmente o 13º salário dos servidores em julho, seria uma injeção de cerca de R$ 1 bilhão na economia, um grande estímulo que faria girar mais a economia. 

Robinson de Castro foi o interlocutor de várias demandas dos contabilistas e de pronto a secretária esclareceu as questões e como se darão encaminhamentos de exigências feitas às empresas e que têm os contadores e técnicos em contabilidade como canal para atender às exigências do fisco estadual. 

Reforma tributária

Outro ponto de destaque revelado por Fernanda Pacobahyba é que, pela primeira vez, há um consenso entre os secretários da Fazenda dos estados brasileiros em relação à Reforma Tributária. Diante disso, a tributação de ICMS passará a ser no destino e o impasse em relação a São Paulo, que não aceitava a mudança, foi removido. "É uma reforma urgente", enfatiza a secretária, lembrando que o Brasil só vai conseguir dar saltos maiores,especialmente vencer essa crise com mais expertise,se existir um ambiente de competitividade mais honesto, pois ainda é muito inseguro. 

O secretário da Fazenda de São Paulo, o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles, aceitou a proposta, de acordo com a titular da Sefaz-CE, desde que haja um período de desmame, ou seja, uma transição.  Conforme Fernanda, o presidente do Congresso Nacional, deputado Rodrigo Maia, quer aprovar a reforma até o fim deste ano, assinalou.

Travessia

Robinson de Castro questionou ainda acerca da situação do Ceará frente a outros estados durante a travessia da crise econômica, que ganhou contornos mais graves a partir da pandemia. 

A secretária da Fazenda enfatizou a trajetória fiscal do Estado, que vinha equilibrada em comparação a outros entes da Federação, os quais já detinham perfil de dificuldades mesmo antes de deflagrada a Covid19 e que isso só se aprofundou.