Demanda por voos domésticos se retrai 90,97% em maio

latam
O desempenho da aviação doméstica continua a sofrer fortemente os impactos da pandemia de Covid19, com o segundo pior resultado mensal desde 2000 registrado em maio

A demanda por voos domésticos registrou uma queda histórica em maio,a segunda pior desde 2000. O recuo foi de 90,97%, em relação a igual período do ano passado. A oferta de assentos nos aviões, por sua vez, teve queda de 89,58% na mesma comparação.

Esses dois indicadores foram registrados pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que acompanha e registra a série de desempenho.

Abril foi pior

Os desempenhos mais fracos foram registrados em abril, auge do impacto da pandemia do novo coronavírus no setor. Os dados foram compilados pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear).

Os voos incluem as operações de suas associadas (GOL, Latam, Voepass/MAP) e trazem números agregados das demais empresas nacionais.

Ocupação

A taxa de ocupação as aeronaves recuou 10,92 pontos percentuais, para 70,80%. Ao todo, foram transportados 538,9 mil passageiros, retração de 92,44%. De janeiro a maio, o transporte aéreo de passageiros acumula redução de 38,79% diante de igual período de 2019, com diminuição de oferta 37,11% na mesma comparação. O aproveitamento dos aviões ficou em 80,09%, recuo de 2,19 pontos percentuais. No total, as companhias aéreas embarcaram 22,8 milhões de pessoas nos cinco primeiros meses do ano, queda de 40,76%.