45% dos inadimplentes não têm como pagar dívida em 3 meses

liso
O aperto financeiro mostra que 75% comprometeriam despesas básicas para pagar dívidas Foto: Freepik

O aperto financeiro está refletindo em pior situação na vida de 45% dos inadimplentes que não se veem em condições de quitar suas dívidas em um horizonte de três meses.

Exemplo dessa dificuldade, é que caso utilizassem seus rendimentos para zerar as dívidas, 75% dos entrevistados comprometeriam o pagamento de contas básicas.

Somente 21% garantem ter uma situação um pouco mais confortável diante desse cenário. O levantamento é da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

A análise socioeconômica da pesquisa revela que a concentração de inadimplentes no Brasil é expressivamente maior entre os brasileiros das classes C, D e E (94%), sendo que em média, cada inadimplente recebe R$ 2.335,32 por mês. Além disso, oito em cada dez (79%) brasileiros com contas em atraso ganham no máximo três salários mínimos.

Quem são

No geral, 58% dos inadimplentes no Brasil são mulheres, ao passo que 42% homens. A idade média é de 38 anos e tendo em sua maioria, mais de três pessoas morando na mesma casa, predominantemente na região Sudeste (46%) e Nordeste (24%).

Outra constatação é que 80% dos inadimplentes têm no máximo o ensino médio completo e outros 20% concluíram ou estão cursando o ensino superior. Embora mais presente nas classes de menor poder aquisitivo, a inadimplência e o descontrole financeiro não são uma exclusividade das classes mais baixas. Em geral, quem recebe salários altos também tem acesso mais fácil ao crédito e, consequentemente, mais chances de se endividar.