Lucro do FGTS será dividido por 269,6 milhões de contas

fgt
O rendimento do FGTS era de 3%, mas passou a 6,18% com alterações via Medida Provisória

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) terá seu lucro líquido dividido por 269,6 milhões de contas ativas e inativas. No ano passado, o valor era estimado em R$ 12,2 bilhões. Cada conta deve ter rendimento de 6,18%.  Os valores serão distribuídos proporcionalmente conforme o saldo de cada conta. 

A distribuição de 100% dos resultados do ano passado foi ratificada pelo Conselho Curador. A Medida Provisória (MP) 889 aumentou a rentabilidade do fundo, determinando a transferência de todo o lucro do exercício anterior aos cotistas.

Antes da MP, o FGTS rendia 3% ao ano mais a Taxa Referencial (TR), atualmente zerada. Desde 2017, o fundo repassava 50% dos lucros do ano anterior ao cotista. Com a mudança, o fundo renderá 6,18% em 2019 , ultrapassando inclusive a taxa Selic (juros básicos da economia), recentemente reduzida para 6% ao ano.

O Conselho Curador também aprovou os Relatórios de Gestão do FGTS e do Fundo de Investimento FI-FGTS. Os documentos serão divulgados no site do FGTS assim que o Diário Oficial da União publicar a resolução.

A liberação este ano de R$ 500 do FGTS deve favorecer as famílias mais pobres, em especial do Norte e Nordeste. Parte dos recursos pode ajudar a retirar muitas famílias dos cadastros de inadimplentes. O conselho instituiu ainda um grupo de trabalho, com participação de três representantes do FGTS e três do Comitê de Investimento do FI-FGTS, para acompanhar e propor mudanças nas aplicações do fundo. O grupo também acompanhará a execução das recomendações dos órgãos de controle em parceria com o Grupo de Apoio Permanente (GAP), formado por consultores técnicos vinculados às 12 entidades que compõem o colegi