Ceará quer dobrar capacidade de geração eólica

eolica
O Estado detém, atualmente, 81 parques eólicos em operação Foto: Freepik

O Ceará quer dobrar sua capacidade de geração de energia eólica, entre 2019 e 2022. O Estado figura entre os três principais geradores de energia a partir dos ventos do País, mas já esteve na liderança. A geração eólica torna-se cada vez mais representativa na matriz energética, sobretudo em períodos de ventos com maior velocidade, como no segundo semestre do ano. 
Atualmente, o Estado possui 81 usinas em operação e foi pioneiro no mapeamento do potencial eólico disponível. “Agora, contando com as novas tecnologias existentes, atualizamos esses dados e temos hoje um atlas híbrido, eólico e solar, que nos traz dados mais concretos e otimistas sobre o potencial do Ceará, apontando inclusive áreas antes pouco exploradas, como nas serras e dentro do mar”, destaca o secretário de Energia e Telecomunicações da Secretaria de Infraestrutura do Ceará (Seinfra), Adão Linhares.
Linhares participou da 11ª edição do Fórum Nacional Eólico, realizado nesta semana, em Natal, no Rio Grande do Norte, apresentando as experiências e os avanços do Ceará no setor de energia limpa. 
Lembrou que Estado conta ainda com uma extensa cadeia produtiva ligada ao setor, despontando na produção e exportação de equipamentos para os parques eólicos e concentrando um considerável patamar de tecnologia trazida por empresas multinacionais.