Ceará é o 2º do País em 2019 nos serviços ligados ao turismo

servico
O Estado cresceu 4,8% em 2019 nos serviços ligados ao turismo, enquanto São Paulo, o líder avançou 5,1% Foto: Freepik

Os serviços ligados ao turismo fecharam o ano no Ceará com crescimento de 4,8% frente a igual período do ano passado. O Estado só ficou atrás de São Paulo, que anotou um avanço de 5,1%.

Apesar disso, em dezembro do ano passado as atividades turísticas no Ceará recuaram 0,5%, frente ao mês imediatamente anterior, após avanço de 1,1% em novembro. Na comparação com dezembro de 2018, o índice de volume de atividades turísticas no Brasil apresentou expansão de 1,3%.

Indicador geral

Levando em conta todas as atividades do setor de serviços o Ceará fechou 2019 com leve avanço de 0,3%. Em dezembro de 2019, o volume do setor de serviços no Estado variou negativamente em 2,5% frente ao mês anterior, após três meses de variação positiva, mas que já vinham em decrescimento.

Na série sem ajuste sazonal, no confronto com igual mês do ano anterior, o volume de serviços avançou 2,1% em dezembro de 2019, alcançando, portanto, a quarta taxa positiva consecutiva. No acumulado do ano, o volume de serviços apontou variação de 0,3%, interrompendo a sequência de 4 anos de quedas: 2015 (-3,8%), 2016 (-2,1%), 2017 (-7,0%) e 2018 (-7,1%).

Famílias

Por outro lado, os setores de Serviços prestados às famílias (-1,9%) e Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (-1,8%) assinalaram os resultados negativos. No acumulado de janeiro a dezembro de 2019, o avanço de 0,3% foi composto por taxas positivas em três das cinco atividades de divulgação. Entre os setores, Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correios (4,4%) exerceram o principal impacto positivo sobre o índice global.

Os demais avanços vieram de Serviços prestados às famílias (1,8%) e de Serviços profissionais, administrativos e complementares (1,2%). Em contrapartida, a influência negativa ficou em Outros serviços (-15,3%) e Serviços de informação e comunicação (-2,0%).

“Essa variação no acumulado anual (0,3%) reflete uma recuperação do setor, pois observa-se na série histórica, que os dois anos anteriores apontaram quedas de magnitudes consideráveis”, comenta Helder Rocha, Supervisor de Disseminação de Informações do IBGE CE.