Vendas de imóveis sobem 81% em junho com reação na Capital

imoveis
Em junho, 100 unidades residenciais verticais foram comercializadas em Fortaleza, com Valor Geral de Vendas (VGV) de R$ 98 milhões, mas ainda foi o pior junho em número de unidades vendidas desde 2015  Foto: Regina Carvalho

O mercado imobiliário de Fortaleza e parte da Região Metropolitana (RMF) comercializou no acumulado de 2020 R$ 692 milhões, com 2.218 unidades,incluindo os segmentos residencial vertical, segunda moradia, comercial e residencial horizontal.

Em junho, 100 unidades residenciais verticais foram vendidas, um crescimento de 81% em relação ao mês anterior. Com isso, o Valor Geral de Vendas (VGV) ficou em R$ 98 milhões, 104% maior na mesma comparação. As vendas se concentraram sobretudo em imóveis com valor de R$ 350 mil a 699 mil.

Mais fôlego

Mas, embora haja uma clara reação frente a maio, junho de 2020 o mercado precisa de mais fôlego, pois ainda apresenta uma redução de 31% no mês considerando as vendas de todos os segmentos de imóveis, sem incluir o Minha Casa, Minha Vida. Foi também o menor número de unidades comercializadas para o mês desde 2015, na série histórica.  

Para quem compra

O desconto médio dos imóveis em junho chegou ao patamar de 80% em junho,comparado a maio. O preço médio do metro quadrado em junho na Capital cearense foi de R$ 7.574 para os residenciais verticais, sem incluir o Minha Casa, Minha Vida.

Retrato fiel

Os números do mercado são do Flash Imobiliário da Lopes Immobilis, que acompanha mês a mês o desempenho das maiores construtoras/incorporadoras da Capital cearense e cidades da Região Metropolitana, apresentando um termômetro fiel do setor. Foram apresentados em live pelo empresário Ricardo Bezerra.

Com a remuneração baixa em vários investimentos, o setor imobiliário aposta na solidez do ativo e também no maior retorno diante do IGPM para ver as vendas aquecidas. Ricardo Bezerra considera que o mercado vai reagir e voltar a crescer com mais força, sobretudo agora a partir do segundo semestre.  

Minha Casa sem crise

O Minha Casa, Minha Vida, conforme Bezerra, não vê crise. Em junho foram comercializadas 359 unidades, um crescimento de 25% em relação ao mês anterior. O Valor Geral de Vendas (VGV) bateu R$ 52 milhões, superior em 27% também ante maio e continuam surgindo lançamentos neste perfil. Enquanto o indicador de Vendas sobre Oferta (VSO) para imóveis residenciais verticais fica em média em apenas 3%, no Minha Casa,Minha Vida este percentual salta para 8%.

Tendência

As casas, de acordo com o diretor da Lopes Immobilis, voltaram a ser uma tendência e há dois meses há um crescimento nas vendas neste segmento. Em junho de 2020 houve um aumento de 167% na comercialização deste tipo de imóvei. Embora a base seja baixa, o valor de vendas alcançou R$ 10 milhões neste mês.

Lançamentos

Atualmente, o estoque de imóveis, sem incluir as unidades do Minha Casa, Minha Vida, soma o equivalente a R$ 3 bilhões, referentes a 4.773 unidades. Diante deste volume e do mercado ainda cauteloso com a pandemia, em 2020 ainda não houve lançamentos nos demais segmentos. O levantamento é representativo e inclui uma base de dados com 66 construtoras/incorporadoras, nas regiões de Fortaleza, Eusébio Aquiraz e Caucaia.

Feirão no Iguatemi

De olho no mercado e para aquecer as vendas, a Lopes Immobilis já agendou com o Shopping Iguatemi o Super Feirão Imóvel Econômico. Será de 9 a 18 de outubro próximo. As empresas do setor também estão atuando fortemente no digital para viabilizar vendas.

Premiação

O ranking de vendas também foi anunciado pela Lopes Immobilis do segundo trimestre. Considerando unidades de médio e alto padrão se destacaram as construtoras Manhattan, Mota Machado e Diagonal/Moura Dubeux, respectivamente no primeiro, segundo e terceiro lugares. No Minha Casa, Minha Vida os melhores desempenhos foram da MRV, Victa e Tenda. No ranking geral de vendas do primeiro semestre se sobressaíram MRV, Mota Machado e Victa, também na ordem de primeiro a terceiro lugares.

 

 

 

a premiação das incorporadoras com os melhores resultados no primeiro semestre de 2020. Nas categorias médio e alto padrão, a Construtora Manhatan foi a que mais vendeu no período, com total estimado em R$ 20,15 milhões. Em seguida vieram Mota Machado (R$ 17,2 milhões) e em terceiro, Diagonal e Moura Dubeux, com R$ 15 milhões cada.

Já entre as 12 incorporadoras que operam no segmento MCMV, a liderança ficou com a MRV (R$ 44,5 milhões). Victa (R$ 23,4 milhões) e Tenda (R$ 22,5 milhões) ficaram em segundo e terceiro lugar, respectivamente.