Azul transporta profissionais de saúde de graça em 574 voos

azul
Desde março, médicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde envolvidos no enfrentamento à Covid-19 voaram com a Azul para diversas cidades brasileiras pagando apenas a taxa de embarque

As empresas brasileiras têm dado uma grande parcela de apoio durante a Covid19. No caso da Azul,  já foram transportados gratuitamente profissionais de saúde atuantes na linha de frente em 574 voos desde março. O profissional desembolsa apenas a taxa de embarque. 

Numa iniciativa de apoio da aviação no combate à pandemia, a empresa se comprometeu a transportar médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, farmacêuticos e nutricionistas em deslocamento em função do combate ao coronavírus, nos assentos disponíveis em seus voos.

Equivale a 5 jatos

Os números apurados nos últimos três  meses representam cinco jatos lotados de profissionais médicos transportados pelo Brasil, o que equivale a uma projeção de R$ 135 mil em passagens disponibilizadas caso os bilhetes fossem comercializados. Cada trajeto também valeu pontos no TudoAzul, programa de vantagens da Azul, para que esses profissionais possam voar, depois de passada à pandemia, para os destinos que desejarem.

Operações que fazem a diferença

“Desde o início da pandemia, temos buscado fazer o possível para ajudar no combate ao vírus, seja transportando equipamentos médicos e medicamentos pelo Brasil, buscando insumos em outros países com operações inéditas, realizando voos de repatriação ou mesmo ativando nossa rede de voluntários internos. E transportar profissionais de saúde tem sido uma das maneiras mais singulares e fundamentais que encontramos para poder contribuir ainda mais no enfrentamento à pandemia”, explica Jason Ward, vice-presidente de Pessoas e Clientes da Azul.

Prorrogação

A iniciativa da companhia, que terminaria no fim de junho, foi prorrogada até 31 de julho. Com isso, O profissional de saúde que quiser usufruir do programa deve comparecer no dia da viagem a uma das lojas da Azul, presentes nos aeroportos, com no mínimo duas horas de antecedência do embarque. Para participar, é necessário apresentar: Carteira de identificação oficial do Conselho Regional competente (CRM, COREN, CREFITO, CRF ou CRN);  Declaração por escrito comprovando que o motivo da viagem se dá pelo cuidado a pessoas enfermas contaminadas ou suspeitas de contaminação pelo COVID-19.