Adagri completa 16 anos e busca avançar em sua atuação

adagri
A Agência tem tido um papel fundamental em garantir a todos os cearenses o suprimento de alimentos livres de qualquer problema e sanitariamente corretos para o seu consumo Foto: Freepik

A Agência de Defesa Agropecuária do Ceará (Adagri) completa 16 anos de criação nesta quinta-feira (02). A Agência, vinculada a Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho do Estado do Ceará (Sedet), trabalha para garantir a saúde animal, vegetal e a qualidade dos produtos agropecuários e agroindustriais do Ceará de forma sustentável.

”São anos de muito trabalho, desafios vencidos e conquistas. Nossa gratidão a todos nossos servidores, colaboradores e parceiros por fazer parte dessa gratificante caminhada. Temos muito a comemorar, mas precisamos continuar focados rumo a grandes resultados, pois há espaço para avanços”, destaca a presidente da Adagri, Vilma Freire.

Desenvolvimento do agronegócio

“A Adagri é um órgão extremamente importante para o desenvolvimento das atividades do agronegócio no Ceará. Apesar do momento difícil que todos estamos passando, estou otimista pois a Agência tem tido um papel fundamental em garantir a todos os cearenses o suprimento de alimentos livres de qualquer problema e sanitariamente corretos para o seu consumo. O que releva ainda mais a importância, nesse momento, do papel que já executava. Destaco também seu papel no pós-pandemia, com os grandes resultados que o agronegócio poderá advir por conta da grande oportunidade que surge a partir do fortalecimento da segurança alimentar mundial. A toda equipe da Adagri reitero os meus parabéns”, enaltece o secretário do Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Maia Júnior.

Regulação e fiscalização

Entre suas funções estão a execução do poder de direção, regulação e fiscalização sobre as atividades agropecuárias, nos termos da Lei nº 13.496, de 02/07/2004, Lei nº 14.144, de 25/06/2008, Lei nº 14.145, de 25/06/2008 e demais normas regulamentares e consensuais pertinentes; representar o Estado do Ceará nos fóruns competentes na área de defesa agropecuária; exercer o poder de polícia sanitário e fitossanitário; elaborar e executar análises de risco para identificação de perigos que possam, efetiva ou potencialmente, afetar negativamente o agronegócio e demais atividades previstas em instrumentos legais ou pactuadas.