Fraport Brasil recorre à Anac diante das perdas de receita

andreea
A CEO da Fraport no Brasil,Andreea Pal, disse que despende R$ 5 milhões por mês de capital para cobrir os custos operacionais, mesmo após reduzir em quase 50% essas despesas Foto: Reprodução Regina Carvalho

A CEO da Fraport Brasil, Andreea Pal, afirmou que a empresa alemã está em contato com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), diante da frustração de receita, como reflexo da pandemia de Covid19, para ver como será equacionada a situação.

A Fraport Brasil gasta R$ 5 milhões por mês de capital para cobrir os custos operacionais, mesmo após reduzir em quase 50% essas despesas, com todas as medidas para manter as perdas no menor patamar possível. 

A perda na média por mês do setor aéreo no Brasil foi de R$ 3,8 bilhões na receita. O valor anotado no mês de abril, praticamente se repetiu nos últimos três meses deste ano.

A Fraport Brasil é a concessionária do Aeroporto Internacional de Fortaleza - Fortaleza Airport - e a executiva participou do evento "Conexões do Turismo", promovido pelo Visite Ceará e o Fortaleza Convention & Visitors Bureau.

Investimento

Andreea Pal lembrou dos recursos aplicados pela Fraport nos terminais do País para cumprir com programa de investimento obrigatório e assegurar o nível internacional de segurança (safety) para o passageiro.

Foram aportes de R$ 1,8 bilhão somente no Porto Alegre Airport, e mais R$ 1 bilhão no Fortaleza Airport. Além disso,houve o pagamento de valor significativo para iniciar a gestão nos aeroportos brasileiros, ressalta a executiva.

Pal argumenta que houve um cálculo dos investimentos e da receita esperada a partir dos passageiros, entretanto, isso não se concretizou nos últimos meses com a parada das atividades diante da pandemia do novo coronavírus. 

De acordo com a executiva da Fraport Brasil, com a parada já reconhecida como uma situação de força maior, a empresa do setor aéreo considera que possui o direito de recuperar a perda de caixa operacional.

Ela enfatiza que a questão no momento é de como a recuperação financeira acontecerá, pois a Fraport Brasil precisa de dinheiro nos próximos meses para amortizar dívidas com o BNB e o BNDES referentes a financiamentos.

O tamanho do impacto

Andreea Pal apresentou números enviados à Anac mostrando como o turismo e, especificamente a indústria aérea, são dos mais impactados. No Brasil, em abril de 2019, o mercado da aviação tinha um fluxo de 7,5 milhões de passageiros, com 886 rotas em operação. No mesmo mês de 2020 passou a apenas 413 mil passageiros e só 230 conexões.