White Martins na ZPE Ceará produz gases, incluindo oxigênio

zpe
A White Martins na América Latina, encravada na ZPE Ceará, tem capacidade superior a duas mil toneladas de gases por dia, a empresa atende a setores essenciais para a população

Vital para nossa existência, o oxigênio é também um insumo hospitalar de extrema importância e, em tempos de Covid19, tem demanda mais elevada.

A Zona de Processamento de Exportação do Ceará(ZPE Ceará), empresa subsidiária do Complexo do Pecém, tem instalada em suas dependências uma das maiores plantas da White Martins na América Latina.

Com capacidade superior a duas mil toneladas de gases por dia, a empresa atende a setores essenciais para a população, com a produção de gases para a saúde.

Entre os gases produzidos, existem os que são especificamente utilizados na área da saúde e que abastecem hospitais por todo o Norte e Nordeste do País, garantindo assim um atendimento de qualidade e tranquilo aos pacientes.

Alguns deles são o nitrogênio, dedicado à preservação do sangue e tecidos vitais, e o oxigênio, tão conhecido por todos na terapia respiratória, ajudando os pacientes a respirar melhor.

Essencial

“Neste momento crítico que enfrentamos, posso afirmar que estamos preparados para seguir operando com a excelência que sempre buscamos em nossas operações e nossos negócios. Sabemos da responsabilidade que temos ao oferecer produtos e serviços que são essenciais à vida de milhares de pessoas e que também contribuem para a continuidade das operações de diversos segmentos importantes da indústria”, afirma Gilney Bastos, presidente da White Martins.

A White Martins representa, na América do Sul, a Linde, maior empresa global de gases industriais e engenharia. A unidade instalada na ZPE Ceará detém clientes principalmente nas regiões norte e nordeste do Brasil, sendo a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) um de seus principais clientes.

De acordo com o presidente da ZPE Ceará, Mário Lima, a White Martins é também responsável pelo resultado positivo alcançado nos últimos anos pela zona cearense de processamento de exportação. “As empresas que estão instaladas na ZPE fazem parte de tudo que estamos conquistando. Em 2019, tivemos o segundo ano consecutivo de crescimento ultrapassando 12 milhões de toneladas. São apenas seis anos de história, mas a cada ano nos superamos e comprovamos com os resultados obtidos a capacidade da ZPE Ceará em receber mais empreendimentos como a White Martins”, diz.

A ZPE cearense tem o compromisso não somente com o desenvolvimento social e econômico, mas também com o bem-estar da população. Por isso, através da adoção de medidas de segurança estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), segue operando normalmente, assim como todas as suas empresas instaladas (CSP, Phoenix do Brasil e White Martins).

Atendimento

Segundo a diretora de operações da ZPE Ceará, Andréa Freitas, as novas medidas visam assegurar o atendimento de todos que, de alguma forma, dependem do que é produzido dentro da ZPE Ceará. “Estamos vivendo um momento atípico, em que pensar no próximo é o que importa. Sabíamos que nossas atividades não poderiam parar, então ajustamos nossos processos para que as atividades continuassem a acontecer da maneira mais segura possível, garantindo assim a segurança dos nossos colaboradores e evitando a proliferação do coronavírus”, finaliza Andréa.