Companhia Docas marca 55 anos com crescimento de 181%

docas
O Porto de Fortaleza recebeu investimentos de R$ 3,5 milhões, dos quais R$ 1,8 milhão de recursos próprios e outro R$ 1,7 milhão oriundo do Orçamento Geral da União (OGU)

Ao completar 55 anos de existência, sob a direção da presidente Mayhara Chaves, a Companhia Docas do Ceará vem passando por mudanças técnicas.

Obteve a autorização para a cessão de áreas não operacionais (Cais Pesqueiro, antigo galpão e área destinada à indústria de formulação de combustível) e o Plano de Modernização da Gestão Portuária está em fase de implementação.

Foi ainda assinado Acordo de Cooperação juntamente com o Governo do Estado do Ceará e a Prefeitura Municipal de Fortaleza para a melhoria viária no entorno deste importante equipamento e acesso ao Terminal Marítimo de Passageiros.

Faturamento

Com melhor resultado alcançado, superando em 181,96% a cifra de 2018, o desempenho financeiro foi de R$ 3,33 milhões (indicador EBITDA) no ano passado. Merece destaque, ainda, a expressiva movimentação de contêineres refrigerados,com recorde de faturamento em análise mensal para o mês de outubro, no valor de R$ 6,06 milhões. Já as receitas adicionais oriundas da realização de eventos no Terminal Marítimo de Passageiros somaram mais de R$ 300 mil somente em 2019. 

De acordo com Mayhara Chaves, a reestruturação administrativa também foi outro fator importante que contribuiu positivamente no caixa da companhia. A redução com despesas de pessoal, serviços terceirizados e outros foi da ordem de 7%, possibilitando, assim, fazer novos investimentos no Porto de Fortaleza. Foram R$ 3,5 milhões, dos quais R$ 1,8 milhão de recursos próprios e outro R$ 1,7 milhão oriundo do Orçamento Geral da União (OGU), a maior execução orçamentária desde 2017. O crescimento foi de 37% relativo aos recursos próprios e de 36% dos saldos e recursos disponíveis.

Cargas

A agenda positiva inclui também, o início da movimentação de novas cargas, como o minério de ferro e gesso, exportados já neste início de ano; o aprimoramento de processos de gestão e de operação do porto; a redução de passivos; a estruturação do controle interno e integridade; o reposicionamento da companhia nos meios de comunicação oficial, visando dar mais transparência à gestão; e a criação de novos canais de comunicação com os próprios colaboradores. A concessão do Terminal Marítimo de Passageiros, com nova data a ser divulgada devido à pandemia da Covid-19, é resultado também da articulação da diretoria com a esfera federal.

“Estamos no caminho certo. As conquistas já alcançadas dão respaldo para essa afirmativa e nos motiva, diariamente, a envidar esforços pela sustentabilidade financeira da companhia e pela atração de novos negócios”, diz Mayhara Chaves, diretora-presidente da CDC.

O Plano Estratégico 2020-2040 e o Plano de Negócios 2020 serão peças-chave no fortalecimento da sustentabilidade da companhia. Entre as metas estão a fidelização dos clientes e a atração de novos negócios, juntamente com uma gestão ainda mais aprimorada dos recursos financeiros e na busca da melhor fluidez dos negócios.