Gomes de Matos apresenta plano emergencial para empresas

eduardo
Segundo o chairman da consultoria, Eduardo Gomes de Matos, é preciso o comprometimento governamental além de todas as condições fiscais e tributárias de apoio irrestrito ao empresariado

A crise mundial ocasionada pela pandemia do coronavírus vem preocupando empresários ao redor do mundo. Neste cenário, a Gomes de Matos Consultores Associados vem adotando ações de apoio e orientação aos empresários.

A consultoria preparou extenso material acerca do assunto. Uma análise para dirimir dúvidas e responder diversas questões antes das decisões, que precisam ser tomadas pelos empresários e governo, ao longo dos próximos dias.

Segundo o chairman da consultoria, Eduardo Gomes de Matos, para que a economia volte a girar e a quarentena seja relaxada, é preciso o comprometimento governamental, no sentido de disponibilizar estrutura mínima necessária para que os testes de confirmação do Covid-19 sejam oferecidos amplamente, os resultados saiam com celeridade, além de todas as condições fiscais e tributárias de apoio irrestrito ao empresariado.

Segundo Eduardo, os governos, em âmbitos municipal, estadual e federal não podem se demorar a tomar decisões, inclusive canalizando dinheiro para as pessoas que irão ficar em "lockdown" (isolamento).

Para ele, os segmentos varejo e turismo devem ser os mais afetados, inicialmente, e segundo dados apresentados, da Organização International do Trabalho - OIT o desemprego deve atingir uma onda brutal, cerca de 25 milhões de demissões no mundo.

Resumo do conteúdo apresentado pelo empresário:

1. Implementar junto à diretoria, comitê de crise/risco com agenda e revisão diária;
2. Criar rotina de update diário com toda a companhia, fazendo follow-up da situação com todos os colaboradores;
3. Revisar e redefinir política de caixa mínimo;
4.Renegociar contratos de dívida com Bancos, FIDICs e Fornecedores, revisando taxas e prazos mínimos entre 30 e 180 dias;
5. Pausar/Cancelar todos os contratos e pagamento de fornecedores de produtos/serviços que sejam dispensáveis ao mínimo funcionamento da companhia;
6. Antecipar de recebíveis de cartão de crédito;
7. Redefinir de politica de compras e cadeia de supply chain, adequando aa necessidade atual e novo volume de receitas;
8. Levantar todos os ativos que possam ser liquidados sem ônus operacional e com baixo desconto na venda;
9. Revisar politica de dividendos em prol do caixa da companhia;
10. Redefinir politica de comissionamento e demais despesas variáveis anual;
11. Redefinir orçamento anual e política bônus para executivos;
12. Pausar projetos e investimentos que não façam sentido ao momento de retração. (Com exceção de projetos em vias de finalização e companhias pertencentes à setores impactados positivamente e estejam em movimento de expansão);
13. Reavaliar headcount, pausando novas contratações e antecipando férias de colaboradores;
14. Readequar timesheet de trabalho em prol do novo momento da companhia e foco em produtividade, readequando salários à nova realidade. (Ministério da Economia prevê esse movimento com impacto menor em caixa e amortecimento do nível de desemprego do país);
15.Definir plano emergencial de cortes, porém priorizando a redução salarial, aguardando novas atualizações e previsões da crise nas próximas semanas;
16. Alocar maior parte do quadro em home office, garantindo a redução de despesas com alimentação e transporte;
17. Atrasar recolhimento de impostos ao máximo, respeitando o período da negativação;
18. Identificar oportunidade de upsell, utilizando estratégias de delivery em prol da quarentena;
19. Gerar conteúdo com foco em relacionamento com clientes e manutenção da carteira;
20. Explorar responsabilidade social e corporativa para engrandecimento de branding (marca); 21. Criar oportunidades de receitas complementares ou substitutas ao produtos/serviços já ofertados rotineiramente, com foco em conveniência e bem-estar.