Donos de restaurantes e bares pedem apoio ao governo do CE

resutaurante
Proprietários de restaurantes, bares, lojas e ambientes de lazer pedem resposta urgente do governo cearense a pleitos para mitigar perdas com paralisação diante do Covid-19 Foto: Regina Carvalho

A cena de praças de alimentação, restaurantes, bares e também lojas movimentadas não deverá ser vista por um tempo. Enquanto isso, empresários desses setores estão preocupados com o fechamento dos negócios e o corte de empregos.

Para minimizar a situação estão pleiteando ao governo estadual uma série de medidas referentes à tributação e obrigações fiscais, segundo o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-CE), Rodolphe Trindade.

De acordo com a Abrasel-CE "não se pode pedir para que todos parem suas atividades sem uma contrapartida". A associação também afirma que as solicitações ajudarão a manter empregos no setor. Atualmente, são cerca de 150 mil. Mas 5 mil trabalhadores no Estado já foram demitidos.

Suspensão de impostos

A Abrasel-CE enviou ofício ao governador do Ceará, Camilo Santana, no qual solicita dentre outras medidas: o adiamento temporário do pagamento de todos os impostos estaduais, sem multa ou juros, por um período de 120 dias. Além disso, solicitam parcelamento posterior pelo mesmo prazo para todas as empresas do segmento, inclusive dos 40% referentes à parcela do Estado no Simples Nacional.

A lista do pleito segue com várias outras solicitações,que incluem também o apoio nas negociações para suspensão e/ou redução, enquanto durar a pandemia, das taxas e cobranças nos serviços de energia elétrica e gás. Suspensão também do corte de água pela Cagece para inadimplentes por 120 dias. Pedem também a antecipação de todos os feriados estaduais a partir de 23 de março do ano de 2020.