Petrobras volta a reduzir preço da gasolina, diesel e também GLP

gas
O GLP, gás de cozinha, deveria ter uma redução de 5% ao consumidor final, caso toda o recuo de preço repassado pela petrolífera fosse entregue

Em mais uma redução de preços nas refinarias, a Petrobras anunciou, nesta quarta-feira (18), queda de 12% no litro da gasolina; 7,5%, no diesel, e ainda 5% do gás de cozinha (GLP). Os valores referem-se aos produtos vendido pelas refinarias da estatal e valerão a partir desta quinta-feira (19).

Mas o consumidor cearense ainda não viu sequer ser repassado o recuo de 9,5% repassado pela petrolífera no dia 13 de março para a gasolina.

Como o mercado é livre, os valores finais aos motoristas dependerão de cada posto e distribuidor de GLP, que acrescem impostos, taxas, custos com mão de obra. Além disso, o mercado brasileiro é baseado na livre concorrência, fazendo com que cada empresa cobre o que achar melhor, segundo explica a Petrobras.

Paridade

“Os preços para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras têm como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo. A paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos. Além disso, o preço considera uma margem que cobre os riscos (como volatilidade do câmbio e dos preços).”

A Petrobras lembra também que a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras são diferentes dos produtos no posto de combustíveis. São os combustíveis tipo "A", ou seja, gasolina antes da sua combinação com o etanol e diesel também sem adição de biodiesel. Os produtos vendidos nas bombas ao consumidor final são formados a partir do tipo "A" misturados a biocombustíveis.